sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Os conflitos étnicos e os separatismos - Questões de vestibular

VESTIBULAR 2014

(UPE) Sobre o assunto abordado na notícia a seguir, analise as seguintes afirmativas:

Centenas de palestinos tentam atravessar a fronteira entre Israel e Síria
Fonte: Exame.com


I. O confronto entre israelitas e palestinos envolve questões geopolíticas complexas, relacionadas à posse de territórios. Os palestinos reivindicam um Estado próprio e soberano.
II. Os Estados Unidos se posicionam como mediadores de uma possível solução em que Israel possa existir pacificamente com um novo Estado palestino, criado nos territórios da Síria e do Iraque.
III. O plano de Partilha da Palestina foi aprovado em 1945, tendo o território judeu sido reconhecido em 1946, quando a criação do Estado da Palestina e do Estado de Israel foi oficialmente instituída.
IV. Com a derrota da guerra de 1945, cerca de meio milhão de judeus e palestinos foram obrigados a deixar a terra onde viviam para se refugiarem na Arábia Saudita e na Síria.

Está CORRETO o que se afirma em
a) I.
b) II.
c) I e II.
d) III e IV.
e) I, II, III e IV.

(URCA) A República Árabe Síria é um país do Oriente Médio com mais de 22 milhões de habitantes e de 185 mil quilômetros quadrados de extensão, grande parte coberta por desertos. Banhada pelo Mar Mediterrâneo tem fronteiras com Turquia, Iraque,
Jordânia, Israel e Líbano. Recentemente tem estado na mídia por questões de ordem geopolítica. Sobre essas “questões” é correto AFIRMAR:

a) Com cerca de 90% da população muçulmana, a Síria foi colonizada pela França, ganhando a independência em 1946. Apoiadora da política de Israel se envolveu como aliada na Guerra dos Seis Dias, em 1967.
b) Localizada no coração do Oriente Médio, a Síria está em guerra civil há mais de dois anos. Sua origem está no descontentamento do povo com o regime de Bashar al-Assad, devido o mesmo ter uma forte aliança com o governo de Barack Obama.
c) Sobre a Síria recaem acusações dos Estados Unidos de ajudar grupos terroristas, com destaque para o palestino Hamas e o libanês Hezbollah.
d) Diferentemente dos demais países do Oriente Médio, a Síria tem sua economia baseada principalmente na indústria e na agricultura. A exploração de petróleo é quase inexistente.
e) A oposição Síria é formada por todos os grupos que desafiam o regime do presidente Bashar al-Assad na guerra civil Síria, onde esses grupos têm apoio de diversos países ocidentais, destacando-se como principal aliado a França.

(UEA) O debate sobre a organização do espaço feito pela Geografia é auxiliado por uma categoria que está ligada à ideia de domínio ou gestão de determinada área. Estas características correspondem à categoria
a) região.
b) paisagem.
c) espaço.
d) lugar.
e) território.

(UNAMA) Há 20 anos, quando o Acordo de Oslo foi assinado, o mundo enxergou na fotografia do aperto de mão entre o premiê israelense Yitzhak Rabin e o líder palestino Yasser Arafat, mediado pelo presidente americano Bill Clinton, um indício de que a paz estava próxima entre judeus e palestinos.


A figura e o texto fazem referência ao Acordo de Oslo, assinado em 13 de setembro de 1993. Sobre este acordo, é correto afirmar que
a) foi determinante para limitar as áreas territoriais de atuação de Israel, principalmente no que diz respeito aos territórios conquistados e ocupados nas guerras de Suez e dos Seis Dias.
b) apesar de não ter obtido a paz entre palestinos e judeus, proporcionou a devolução dos territórios da Península do Sinai para o Egito, as Colinas de Golan para a Síria e a faixa de Gaza para os palestinos.
c) proporcionou o reconhecimento recíproco de Israel e da OLP (Organização para libertação da Palestina) como representante do povo palestino, prevendo também a devolução da Faixa de Gaza e da Cisjordânia para os palestinos.
d) ratificou o Acordo de Camp David, de 1979, devolvendo para a autoridade palestina os territórios de Gaza, das Colinas de Golan e da Península do Sinai.

(UFAM) Com o colapso do socialismo real no Leste Europeu, um dos estados mais afetados foi a Iugoslávia que, ao longo da década de 1990, foi desaparecendo aos poucos. Com o fim da federação iugoslava, surgiram vários pequenos estados que, atualmente, fazem parte do mapa político europeu.
Assinale a alternativa que NÃO corresponde a um desses estados surgidos da ex-Iugoslávia.
a) Eslovênia
b) Bósnia
c) Sérvia
d) Lituânia
e) Macedônia

(UDESC) Analise as proposições sobre Israel e Palestina.

I. O conflito entre Israel e Palestina começou no século XX, quando os judeus começaram a comprar terras na Palestina. Na década de 30, milhares de judeus já viviam nesta região.
II. O primeiro confronto armado entre Israel e Palestina aconteceu em 1967, o que se convencionou chamar de Guerra dos Sete Dias.
III. A mais importante tentativa de paz entre Israel e Palestina, durante o século XX, aconteceu em 1993. O acordo foi assinado entre Yasser Arafat, líder da OLP (Organização para a Libertação da Palestina), e o primeiro ministro de Israel, Yitzhak Rabin.
IV. Em 2000, nova tentativa de paz foi negociada pelos EUA, sem sucesso, dando início à segunda intifada, o levante armado palestino.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas I e IV são verdadeiras.
e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

(ESPM) No momento em que Israel e palestinos retomaram negociações de paz, após quase três anos de interrupção, cabe lembrar um momento referencial para essa questão. Encerrada a Segunda Guerra Mundial e sob o impacto da revelação dos horrores dos campos de concentração nazistas na Europa, na sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas de 1947 foi aprovada a resolução no. 181 que recomendava:
a) a confirmação mandato de ocupação britânica em toda a Palestina, onde deveriam viver como súditos britânicos tanto judeus como palestinos;
b) a partilha da Palestina em dois Estados, um árabe e um judeu;
c) a concessão de todo o território da Palestina para a criação de um Estado judeu;
d) o reconhecimento do direito dos árabes muçulmanos ao território da Palestina, negando qualquer direito aos judeus;
e) o estabelecimento de um mandato da ONU sobre o território da Palestina a partir daquela data.

(UERJ) A Declaração Universal dos Direitos Humanos (ONU, 1948) conta hoje com a adesão da maioria dos estados-nacionais. O conteúdo desse documento, no entanto, permanece como um ideal a ser alcançado. Observe o que está disposto em seu artigo XV:

1. Toda pessoa tem direito a uma nacionalidade.
2. Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.

portal.mj.gov.br


Desde a década de 1960, em virtude de conflitos, o direito expresso nesse artigo vem sendo sonegado à maior parte da população pertencente ao seguinte povo e respectivo recorte espacial:
a) árabe – regiões ocupadas pela Índia   
b) esloveno – distritos anexados pela Sérvia   
c) palestino – territórios controlados por Israel   
d) afegão – províncias dominadas pelo Paquistão   

VESTIBULAR 2013

(UNICENTRO) Sobre os conflitos étnicos e a questão das nacionalidades, assinale a alternativa correta.

a) Os conflitos étnicos da Irlanda têm como principal foco o rompimento da supremacia britânica sobre os irlandeses, dentro da Grã-Bretanha. Neste caso, a Irlanda do Norte e a Irlanda do Sul uniram-se contra ingleses e escoceses.
b) Os conflitos étnicos mais recentes, ocorridos na África, opõem as populações tribais locais ao colonizador. Em Angola, por exemplo, as tribos locais uniram-se contra a população de origem portuguesa, o antigo dominador.
c) Os conflitos entre árabes e judeus são essencialmente de fundo religioso, alimentando a oposição entre palestinos e judeus. Neste caso, os conflitos por território são apenas secundários tendo, mesmo, deixado de fazer parte da pauta de negociações, na última década.
d) A “Questão Basca” envolve a reivindicação dos bascos quanto ao aumento da autonomia política e também cultural, junto ao governo espanhol, bem como uma possível independência do País Basco.
e) Os curdos pertencem a uma etnia de origem libanesa, sendo um povo de características raciais e culturais muito homogêneas. Vivem na província do Curdistão, no leste da Turquia e reivindicam maior liberdade religiosa, não se envolvendo em conflitos pela posse de território.

(IFTM)

Tendo como base os estudos realizados sobre esse conflito que ocorre em território asiático, bem como os conhecimentos sobre aquela região, leia as alternativas abaixo e marque a opção correta.
a) No conflito que aconteceu em novembro de 2012, o partido do Al Qaeda, que foi majoritário nas últimas eleições na Palestina, disparou mísseis contra alvos israelenses.
b) O Oriente Médio é uma região rica em petróleo. Os Emirados Árabes Unidos são os maiores produtores e exportadores de petróleo e gás natural do planeta. A disputa não afeta a produção desse mineral na região.
c) A cidade de Jerusalém, em Israel, é considerada capital religiosa para as três maiores religiões monoteístas do planeta: o judaísmo, o islamismo e o hinduísmo.
d) Os conflitos entre Israel e Palestina têm extensas raízes culturais que remontam há vários séculos. Após a proclamação oficial do Estado Israelense, em 1948, os conflitos se acentuaram na região.
e) Os conflitos entre israelenses e palestinos, por ser uma disputa local, não afeta o restante das relações internacionais. A ONU já se posicionou sobre o conflito e deixou a cargo das duas nações, somente das duas, a solução para o mesmo.


(ESPM) A imagem abaixo retrata evento cerimonial em que a seleção irlandesa de rugby foi rece- bida pela rainha Elizabeth II e um dos atletas da delegação recusou-se a cumprimentá-la.

Fonte: http://www.taringa.net/posts/noti- cias/15284932/Leyenda-de-Rugby-niega-a-dar-la- -mano-a-Reina.html. (Acesso: 18/08/2012)

Considerando os aspectos políticos, cultu- rais e nacionais, o atleta que se recusou a estender a mão à rainha provavelmente seja mais próximo de um:

a) Católico republicano.
b) Protestante monarquista.
c) Católico unionista.
d) Protestante unionista.
e) Protestante separatista.

(ESPM) Leia os textos e responda:

Em visita a Israel, o candidato republicano Mitt Romney afirmou que Jerusalém é a capital do Estado judeu.
A declaração de Romney de que Jerusalém é a capital de Israel está alinhada à afirmação feita pelos governos israelenses, ainda que os Estados Unidos e outras nações tenham suas embaixadas em Tel Aviv.
(http//www.valor.com.br/internacional)

Os palestinos acusaram o candidato republicano à presidência dos EUA, Mitt Romney, de minar as perspectivas de paz, pois segundo o próprio chefe negociador palestino, Saeb Erekat, não pode haver Estado palestino sem Jerusalém Oriental.
(http//www.g1.globo.com/mundo/notícias/2012/07)

A ocupação de Jerusalém Oriental pelo exército de Israel e o domínio de toda a cidade pelos israelenses ocorreu :
a) durante a Guerra da Fundação de Israel, em 1949;
b) na Guerra de Suez, em 1956;
c) na Guerra dos 6 Dias, em 1967;
d) na Guerra do Golfo, em 1991;
e) depois do 11 de Setembro, em 2001.

(UEA) Índia e Paquistão disputam a região da Caxemira desde 1947. Os intensos conflitos armados entre esses países os levaram a uma acirrada corrida armamentista que culminou com a sua entrada no grupo de países detentores de armas nucleares. As causas dos conflitos na região da Caxemira estão relacionadas

a) ao imperialismo francês, que colonizou a região e juntou povos com diferentes religiões e culturas.
b) à sua posição geográfica estratégica, localizada no sul da Índia, sendo a principal rota marítima das grandes embarcações.
c) às diferenças religiosas entre a Índia, de maioria hindu, e a região da Caxemira, de maioria muçulmana.
d) às rivalidades milenares entre povos paquistaneses, de origem báltica, e os indianos de origem muçulmana.
e) à presença de fartas reservas de petróleo, que torna a região estratégica para o desenvolvimento da Índia.

(UPE) Sobre o contexto geopolítico, apresentado na figura a seguir, é CORRETO afirmar que


a) os Estados Unidos da América pretendem reforçar o regime absolutista da Turquia, país que está situado no limite entre a Europa e a Ásia e vem enfrentando uma série de críticas do Mercosul sobre a falta de respeito às liberdades públicas.
b) Israel, Arábia Saudita, Síria, Jordânia e Turquia são países aliados militares dos Estados Unidos e promovem, em conjunto, uma geopolítica de enfrentamento ao território Curdo que briga pelo uso das águas dos rios Tigre e Eufrates.
c) os países, literalmente referidos na figura, localizam-se no Oriente Médio e possuem grande importância econômica e geoestratégica. Essa região é de grande interesse de potências mundiais, além de apresentar, de forma geral, conflitos religiosos, sociais e territoriais.
d) Israel, Arábia Saudita, Síria, Jordânia e Turquia concentram parte das reservas mundiais de petróleo e também de gás natural, razões pelas quais esses países de tradição islamita se unem politicamente contra os Estados Unidos.
e) a Jordânia é o único país do Oriente Médio onde a água é foco de disputas e, até, de conflitos militares. Com o crescimento econômico e a expansão da agricultura, esse país vem recebendo apoio incondicional dos Estados Unidos.

(URCA)  “Quem deu a Israel o direito de negar todos os direitos?” Eduardo Galeano


“Desde 1948, os palestinos vivem condenados à humilhação perpétua. Não podem nem respirar sem
permissão. Perderam sua pátria, suas terras, sua água, sua liberdade, seu tudo. Nem sequer têm direito a eleger seus governantes. Quando votam em quem não devem votar são castigados. Gaza está sendo
castigada. Converteu­se em uma armadilha sem saída, desde que o Hamas ganhou limpamente as eleições em 2006. Algo parecido havia ocorrido em 1932, quando o Partido Comunista triunfou nas eleições de El Salvador. Banhados em sangue, os salvadorenhos expiaram sua má conduta e, desde então, viveram submetidos a ditaduras militares. A democracia é um luxo que nem todos merecem.”

Com base no fragmento do texto de Eduardo Galeano é correto afirmar que:
a) Os Estados Unidos se consideram em estado de guerra com Israel e, desde 1948, não cessam de
proclamar sua vontade de lançar os israelitas no mar e de riscar seu Estado do mapa do Oriente Médio.
b) O estado palestino, criado pelo Acordo de Oslo, em 1993, tem sua implantação fiscalizada pela ANP (Autoridade Nacional Palestina), com a ajuda financeira dos Estados Unidos da América, da União Européia e dos principais grupos palestinos: o Fatah e o Hamas.
c) Os conflitos entre israelenses e palestinos passa também pelo domínio das águas da bacia do rio Nilo.
d) A Organização das Nações Unidas aprovou, em 1947, a divisão da Palestina, então administrada pelos
britânicos, em um estado árabe e outro judeu, possibilitando a criação de Israel, em 1948.
e) Os grupos terroristas Judeus surgiram na década de 1980 objetivando combater o estado da Palestina e a implantação de um estado de Israel islâmico.

UFES) A onda de protestos, revoltas e revoluções populares contra governos de países árabes, conhecida como Primavera Árabe, tem provocado a queda de alguns governos ditatoriais.

a) Cite 4 (quatro) países árabes onde ocorreram as manifestações referidas acima.

b) Explique como as redes sociais (Facebook, Twitter) e os meios de comunicação têm contribuído para o desenvolvimento dos conflitos em países árabes de governos ditatoriais.

Resolução:

a) Argélia; Líbia; Egito; Jordânia; Iêmen; Arábia Saudita; Líbano; Síria.
Também: Palestina; Omã; Mauritânia; Marrocos; Djibuti; Barein; Iraque; Kuwait...

b) O Facebook e o Twitter têm sido usados na mobilização da população e na organização de protestos. A rede de TV Al Jazeera tem sido usada na cobertura e divulgação dos movimentos.

(UCS) O racismo e a intolerância causaram diversos massacres e injustiças no decorrer da história, dos gregos e romanos até os dias atuais.

Considere as seguintes afirmativas sobre alguns desses massacres e injustiças.

I. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha nazista perseguiu minorias que não correspondiam a seu ideal de raça ariana ou raça pura. Além de seis milhões de judeus, foram executados ciganos, homossexuais, presos, deficientes, militantes políticos e outros grupos étnicos e religiosos.
II. O Apartheid, regime que durou de 1948 a 1994, restringiu os direitos dos não brancos na África. Nelson Mandela passou 27 anos preso por lutar pelos direitos dos negros em seu país e tornou-se presidente depois de libertado.
III. Os homossexuais sofreram perseguição com a expansão do cristianismo. Em alguns países, foram presos e condenados à morte. Hoje, apesar de toda a repressão legal e social, a homofobia continua sendo frequentemente expressada, muitas vezes com violência física.

Das afirmativas acima, pode-se dizer que

a) apenas I está correta.
b) apenas II está correta.
c) apenas I e II estão corretas.
d) apenas II e III estão corretas.
e) I, II e III estão corretas.

VESTIBULAR 2012

(UNIFENAS) Observe o mapa do continente africano a seguir:


Analise os fragmentos de texto para responder às alternativas abaixo

TEXTO I:
“A crise no país iniciou-se como uma consequência dos resultados eleitorais obtidos no segundo turno das eleições presidenciais, realizadas em 28 de novembro de 2010, que deram como vencedor o candidato da oposição, Alassane Ouattara, por uma margem estreita de votos. No entanto, a intervenção do Conselho Constitucional e a lealdade das forças armadas a Gbagbo permitiram-lhe manter-se no poder, apesar do parecer desfavorável e da pressão exercida pela comunidade internacional. Após meses de tentativa de negociação, a crise entrou numa fase decisiva, com a intensificação de confrontos entre as forças leais a Gbagbo e os grupos paramilitares favoráveis a Ouattara. Apoiado pelas tropas da ONU, Ouattara depôs do poder Gbagbo em abril de 2011. O país africano em questão é o maior produtor mundial de cacau e obtém também enorme destaque na produção de castanha de caju, além de ser um produtor cafeeiro.”

TEXTO II: “A Revolução de Jasmim, correspondeu a uma sucessão de manifestações insurrecionais ocorrida no país africano entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011 que levou à saída do presidente da República, Zine el-Abidine Ben Ali, que ocupava o cargo desde 1987. As manifestações começaram logo depois do suicídio de Mohamed Bouazizi, de 26 anos, vendedor ambulante de frutas e verduras, em Sidi Bouzid, quando o jovem ateou fogo no próprio corpo por não suportar mais pagar propinas às autoridades para obter licença para trabalhar na rua. Os protestos no país prosseguiram ao longo de janeiro de 2011, estimulados por um excessivo aumento dos preços dos alimentos básicos, que veio a aumentar a insatisfação popular diante do elevado desemprego, das más condições de vida da maior parte da população e da corrupção do governo. Quatro semanas de manifestações contínuas por todo o país, apesar da repressão, provocaram a fuga de Ben Ali para a Arábia Saudita em 14 de janeiro de 2011.”

(Fonte: Wikipédia. Com adaptação.Setembro/2011)

Buscando suporte no mapa e nos fragmentos acima, pode-se afirmar corretamente que os dados dos países contidos nos textos referente aos recentes conflitos na África podem ser identificados com os seguintes números no mapa do continente africano:

a) Texto I: Nigéria (país 2); Texto II: Marrocos (país 1).
b) Texto I: Argélia (país 3); Texto II: Costa do Marfim (país 2).
c) Texto I: Egito (país 4): Texto II: Turquia (país 5).
d) Texto I: Argélia (país 1); Texto II: Líbia (país 4).
e) Texto I: Costa do Marfim (país 6); Texto II: Tunísia (país 3).

(UEL) No século XXI, o mundo ainda não conseguiu se desvencilhar do etnocentrismo, dos nacionalismos ou localismos radicais e dos preconceitos.


Muro da Universidade do Estado do Rio de Janeiro em 2009.

(Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2011.)


Parede em Paris em 2009. Tradução livre: A cura vitoriosa para a merda judaica é Auschwitz.

(Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2011.)

Com base nas imagens e nos conhecimentos sobre o tema, escolha um momento da história da humanidade para discorrer sobre práticas de intolerância.

Resolução:

Deve-se saber o que é intolerância, perceber a intolerância nas imagens, selecionar um momento do passado para exemplificar e explicar práticas de intolerância.
Deve-se associar as imagens comparando e interpretando, em especial, relacionando passado/presente e mudanças/permanências, mostrando práticas, discursos, ideias, noções, etc. de discriminação e/ou intolerância que aconteceram em relação à etnia, à idade, ao gênero, à religião, à nacionalidade. Deve perceber e negar o preconceito, a intolerância, considerar que nem todas as práticas, as noções, os conceitos, podem ser considerados válidos eticamente para não incidir no relativismo (deve-se entender o preconceito, do passado e do presente, como próprios de um contexto, de uma cultura datada, mas passível de crítica).
Pode-se reportar a outros períodos históricos, como a escravidão negra no Brasil, na medida em que relaciona com o preconceito e critica as justificativas para o preconceito. Pode dar exemplos pessoais desde que relacionados aos exemplos históricos.

(IFBA)

 “Os Estados Árabes se consideram em estado de guerra com Israel e, desde 1948, não cessam de proclamar sua vontade de lançar os israelitas no mar e de riscar seu Estado do mapa do Oriente próximo (...).”

FRIEDMANN, Georges. Fim do povo judeu? São Paulo: Perspectiva, 1969, p. 243.

Iniciado em 1848, o conflito palestino-israelense constituiu, no Oriente Médio, o que se convencionou chamar de Questão Palestina, que está longe de ser resolvida, ainda hoje, e pode ser relacionada à

a) exigência, pelos países do Oriente Médio, de cumprimento do Plano da ONU de Partição da Palestina, que criava o Estado Palestino no final da Segunda Guerra Mundial.
b) incapacidade dos países vencedores da Segunda Guerra de garantir a paz no Ocidente nos anos posteriores ao conflito, provocando uma fuga em massa de judeus para a Palestina.
c) construção de um padrão de instabilidade nas relações internacionais pelo recém-criado Estado de Israel, que contava com o apoio dos Estados Unidos, da União Soviética e da ONU.
d) recusa árabe à partilha da Palestina, imposta pela ONU, que submeteu a maior parte do território ao controle do recém-criado Estado de Israel, sem que se respeitasse a soberania dos povos desta região.
e) extinção oficial do mandato britânico sobre a Palestina, no final da Segunda Guerra, com reconhecimento imediato pelos países vencedores da independência de todos os países do Oriente Médio.

(UFRN) O Oriente Médio, foco de conflitos geopolíticos, nacionalistas e religiosos que geram preocupações em diferentes países, é considerado uma das principais áreas estratégicas do mundo

a) por ter o seu território banhado pelos oceanos Pacífico e Índico e por sua importância no mercado mundial, devido ao elevado consumo de carvão mineral.
b)  devido à sua localização próxima à China e à Índia e à sua importância econômica como principal produtora de carvão mineral em escala mundial.
c) devido à sua localização entre Ásia, Europa e África e à sua importância econômica como detentora das maiores reservas mundiais de petróleo em terra.
d) por ter o seu território banhado pelo Mar Mediterrâneo e Mar Vermelho e por sua importância no mercado mundial como principal consumidora de petróleo.

(FATEC) Analise a tira.

(QUINO. Toda a Mafalda. São Paulo: Martins Fontes, 1993.)

A justificativa apresentada por Mafalda, no terceiro quadro, deve ser atualmente considerada

a) incorreta porque, apesar das diferenças étnico-culturais existentes, a Ásia mantém-se sem conflitos desde o início do século XXI.
b) superada porque a Ásia entrou em um período de estabilidade devido ao processo de democratização em alguns de seus países.
c) ultrapassada porque o Extremo Oriente, que era uma região conflituosa, tem se mantido calmo devido à ascensão da China à
condição de emergente.
d) inexata, pois a Ásia deixou de apresentar turbulências políticas desde a década de 1970, quando a maioria dos seus países
tornou-se independente.
e) incompleta porque faltou acrescentar a África, onde algumas regiões passam por conflitos étnicos e sérias crises de fome.

(ESPM) Em 2011 completam-se vinte anos dos lamentáveis episódios da violenta Guerra dos Bálcãs que levou à dissolução da Iugoslávia. Com o auxílio do mapa abaixo, indique a assertiva correta:


a) A – a próspera Eslovênia foi a primeira das repúblicas a se separar da Iugoslávia e teve o imediato reconhecimen- to da União Europeia, bloco que ingressou posterior- mente.
b) B – Bósnia foi palco da mais sangrenta das guerras e envolveu bósnios muçulmanos, croatas ortodoxos e sérvios católicos.
c) C – a Croácia sempre alimentou forte rivalidade com os sérvios desde a Segunda Guerra Mundial, quando os croatas apoiaram a invasão nazista e puseram-se contra Tito.
d) D – Sérvia, apesar de não ter o controle político da ex- Iugoslávia, era a província mais rica, situação alcançada graças à condução do sérvio Joseph Broz Tito que canalizava os recursos para a república.
e) E – em Kossovo, a maioria cristã sempre alimentou o desejo separatista de juntar-se à Albânia, uma vez que os kossovares igualmente são, majoritariamente, albaneses.

(ESPM) Observe o texto e o mapa abaixo:

Sudão do sul, independente e vulnerável

No sábado 9, o mundo ganhou um novo país: o Sudão do Sul. A nação, maior que a Bahia, nasce carregando o título do Estado mais pobre do mundo, onde três dos estimados nove milhões de habitantes precisam de ajuda humanitária para se alimentar e 90% vivem com até 50 centavos de dólar por dia (cerca de 0,80 centavos de reais).


(Carta Capital disponível em http://www.cartacapital.com.br/internacional/ sudao-do-sul-independente-e-vulneravel. Acesso: 30/09/11)

Em relação à geografia do novo país, está correto afirmar:

a) Localizado na África Austral, as ricas jazidas de ferro e cobre apresentam-se como oportunidades futuras em melhores dias para amenizar o alto índice de miséria existente.
b) Localizado entre a África Oriental e Central, e de maioria cristã e animista em oposição ao norte islâmico, o Sudão do Sul vê no petróleo as melhores perspectivas futuras.
c) Localizado na África Ocidental, o novo país tem nas áreas de plantation a base da economia exportadora de gêneros tropicais, como cacau e açúcar.
d) O conflito étnico entre tutsis e hutus levou a um genocídio nesse novo país da África Oriental, cuja separação em duas partes pareceu ser a única solução possível.
e) O novo país de maioria islâmica localiza-se na África Setentrional e o clima mediterrâneo favorece o cultivo de videiras e oliveiras, os principais produtos de exportação.

(UNICAMP) Em discurso proferido em 20 de maio de 2011, o presidente dos EUA, Barack Obama, pronunciou-se sobre as negociações relativas ao conflito entre palestinos e israelenses, propondo o retorno à configuração territorial anterior à Guerra dos Seis Dias, ocorrida em 1967.

Sobre o contexto relacionado ao conflito mencionado é correto afirmar que:
a) A criação do Estado de Israel, em 1948, marcou o início de um período de instabilidade no Oriente Médio, pois significou o confisco dos territórios do Estado da Palestina que existia até então e desagradou o mundo árabe.
b) A Guerra dos Seis Dias insere-se no contexto de outras disputas entre árabes e israelenses, por causa das reservas de petróleo localizadas naquela região do Oriente Médio.
c) A Guerra dos Seis Dias significou a ampliação territorial de Israel, com a anexação de territórios, justificada pelos israelenses como medida preventiva para garantir sua segurança contra ações árabes.
d) O discurso de Obama representa a postura tradicional da diplomacia norte-americana, que defende a existência dos Estados de Israel e da Palestina, e diverge da diplomacia europeia, que condena a existência dos dois Estados.

VESTIBULAR 2011

(PUC-RIO)

CONTRA O VÉU ISLÂMICO — FRANÇA PROÍBE USO DA BURCA (14/10/2009)


CIGANOS EXPULSOS DA FRANÇA SERÃO 950 DENTRO DE UMA SEMANA (25/08/2010)


Fontes: Google.imagens.com.br e Vera Monteiro/Agências

A partir das imagens das reportagens selecionadas, responda o que se pede:

a) Explique o que é XENOFOBIA e como ela afeta a pluralidade cultural no espaço europeu.

b) Indique UMA CAUSA CULTURAL da proibição do uso do véu islâmico e UMA CAUSA ECONÔMICA da expulsão dosciganos pelo atual governo francês.

Resposta:

a) Entende-se por Fundamentalismo Islâmico a interpretação particular e literal da sharia (a lei do Corão), aplicada com fins políticos. Em oposição às ideias laicas, modernas e ocidentais, essa interpretação afirma que, a fim de formar um Estado islâmico puro, os valores da tradição e religião islâmica devem desempenhar um papel central na vida econômica, social e política dos povos. Vários movimentos fundamentalistas procuraram e ainda procuram lutar para obter e manter o controle do
Estado nos países com maioria da população de religião islâmica e ali aplicar seus princípios. A xenofobia no espaço europeu, que é laico em sua constituição social e política, é contraproducente já que não corresponde aos ideais de pluralidade e convivência aos quais as sociedades européias, notadamente as ocidentais, se basearam desde meados do século XX.
(Adaptado de www.klikeducação.com.br).

b) Dentre os interesses políticos do Estado francês contra o uso da burca naquele país, pode-se interpretar.

1) aumentar o controle do Estado francês sobre o terrorismo internacional, já que terroristas podem se valer da ocultação da identidade de quem usa a burca para ampliar a sua rede de atentados;
2) ampliar a margem de aceitação do atual governo frente aos grupos ideológicos mais conservadores da sociedade francesa;
3) redimensionar a vida política e participação social das mulheres islâmicas na sociedade francesa, para que elas lutem por igualdade de direitos de gênero junto aos homens de sua comunidade próxima;
4) revalorizar os costumes ocidentais na população migrante com o objetivo de reforçar a condição de sociedade laica e liberal do franceses, sobre a qual o país construiu a sua identidade no mundo, desde
o século XVIII;
5) retirar a atenção da sociedade francesa dos principais problemas sociais e econômicos que afetam atualmente aquele país, redirecionando-o para problemas secundários.

Dentre os interesses econômicos do mesmo governo para expulsar os ciganos do país, pode-se argumentar:

1) reduzir os gastos sociais com migrantes ilegais em um Estado fortemente endividado, notadamente após a crise econômica iniciada em 2008;
2) diminuir o número de casos de violência no país (principalmente a ação dos narcotraficantes e grupos mafiosos do leste europeu), que vêm crescendo, assustadoramente, e que já afetam os investimentos econômicos na França e o turismo;
3) ampliar o acesso ao trabalho menos qualificado do francês de baixa renda afetado pela redução do emprego desde a crise de 2008 e que compete agora com os imigrantes pelo acesso aos postos de trabalho menos remunerados da economia francesa.

(FATEC) “Palavras de ordem, símbolos, propaganda, atos públicos, vandalismo e violência são, atualmente, manifestações de hostilidade frequentes contra estrangeiros na Europa. Os países onde mais intensamente têm ocorrido conflitos são Alemanha, França, Inglaterra, Bélgica e Suíça.”

(MOREIRA, Igor e AURICCHIO, Elizabeth. Construindo o espaço mundial. 3.ª ed. São Paulo: Ática, 2007, p. 37. Adaptado.)

Sobre o fenômeno social enfocado pelo texto, é válido afirmar que se trata de conflitos

a) civis e militares, relacionados às formas históricas de exploração dos países do chamado Terceiro Mundo.
b) ligados ao nacionalismo, ao racismo e à xenofobia, no contexto globalizado das grandes migrações internacionais.
c) entre imigrantes das diversas nacionalidades que invadem a Europa, atualmente, na disputa por empregos e por melhores condições de vida.
d) culturais, principalmente causados pelo conflito armado entre países católicos e protestantes, mas também, sobretudo, conflitos contra países islâmicos.
e) étnicos e sociais decorrentes das dificuldades de desenvolvimento de países europeus em continuar a sua industrialização nos setores tecnológicos de ponta.

(UENP) Analise as assertivas abaixo referentes à Caxemira.

I. A Caxemira é uma região disputada tanto pela Índia quanto pelo Paquistão, em virtude de localizaremse, nessa área, as nascentes dos rios Indo e Ganges, além de outras razões.
II. Índia e Paquistão travaram três guerras desde a independência da Inglaterra, em 1947. Duas delas foram por disputas da Caxemira.
III. A Índia controla 40% da Caxemira; o Paquistão, um terço; a China, o resto.
IV. Os muçulmanos são maioria na região e há 12 anos eles começaram a lutar pelo separatismo, num conflito que já matou mais de 33 mil pessoas. O Paquistão propõe um plebiscito para definir o futuro da
área. A Índia prefere a mediação internacional.

Estão corretas:

a) todas as assertivas
b) apenas I e II
c) apenas II e III
d) apenas III e IV
e) apenas I e IV

(UDESC) Leia a notícia abaixo.

“França proíbe o uso do véu islâmico em locais públicos – Projeto de lei veta traje que cobre todo o corpo e/ou deixa só olhos à mostra. A França está prestes a entrar para o grupo de países europeus que decidiu proibir o uso do véu islâmico em locais públicos. A Câmara Baixa francesa aprovou, com 335 votos a favor e um contra, o projeto de lei que proíbe o uso da burca (cobre todo o corpo e rosto) ou o niqab (deixa apenas os olhos à mostra). O texto foi aprovado na última segunda-feira pelos deputados da maioria conservadora da União por Movimento Popular (UMP), sem a presença dos socialistas, que já haviam alertado que não participariam da votação. O projeto segue para o voto no Senado em setembro, onde se espera que passe facilmente. A medida conta com o apoio da população francesa, segundo pesquisas divulgadas nas últimas semanas, mas atrai críticas do mundo muçulmano.”

(Disponível em: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/donna/19,206,2970825,Franca-proibe-o-uso-do-veu-islamico-em-locais-publicos.html)

Com base na notícia, analise as proposições abaixo.

I. Fica clara a influência da religião islâmica no Estado Francês, que se mostra preocupado em manter as especificidades da cultura religiosa islâmica.
II. A medida de proibição que conta com apoio da população francesa está relacionada à democracia e ao ideal republicanos que os franceses alimentam, construídos desde a Revolução Francesa, e que separou o Estado de quaisquer manifestações de religiosidade.
III. Os franceses são antiterroristas e, por isso, querem impedir o crescimento do islamismo naquele país, pois para os franceses um religioso islâmico é sempre um terrorista.
IV. Os franceses são contra o uso do véu em lugares públicos porque ele seria um símbolo da subserviência feminina.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente a afirmativa I é verdadeira.
b) Somente a afirmativa II é verdadeira.
c) Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

(UFAC) “O grupo palestino Hamas disse que lutará até que Israel atenda suas exigências para um cessarfogo.”

BOWEN, Jeremy. Cessar-fogo não deve pôr fim à guerra na Faixa de Gaza. BBCBrasil.com. Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2009/01/09 0118_gazatregua_analise_fp.shtml.

O texto do site da BBCBrasil.com trata dos conflitos armados entre palestinos e o Estado de Israel, que teve seu início quando:

a) Na Declaração de Balfour, em que foi concedido apoio britânico para a criação de uma pátria judaica na Palestina.
b) A ONU, no ano de 1947, fez a divisão entre os territórios da Palestina e Israel. Ação que desencadeou um ataque da Liga Árabe ao Estado de Israel.
c) No movimento sionista, criado no séc. XIX, por Theodor Herzl, que tinha como propósito a formação de um estado judaico com reconhecimento internacional da Palestina.
d) Na assinatura dos Acordos de Camp David, pelos quais se estabelecia a concordância na negociação para a devolução do Sinai ao Egito e a autonomia restrita aos palestinos que habitavam Gaza.
e) Na Intifada e no Haganah.

(MACK)

Esse é o slogan de uma campanha realizada pela Organização Anistia Internacional. O mapa faz referência a conflitos mundiais do passado e do presente nas respectivas localidades.

Tomando como ponto de reflexão o mapa, considere as afirmações I, II, III e IV.

I. Nesse país, além dos conflitos raciais entre hutus e tutsis, há uma sangrenta disputa pelas riquezas minerais da região.
II. Área de disputas entre Índia e Paquistão, cuja rivalidade já provocou conflitos armados importantes, lembrando, o problema maior, de os dois países possuírem armas atômicas.
III. No nordeste da Espanha e sudoeste da França, encontramos um território ocupado por um povo, que, há mais de 40 anos, luta por sua autonomia política. No final da década de 1950, surgiu um grupo centrado nas táticas de guerrilha (ETA), visando à libertação da região por meio da luta armada.
IV. País de difícil topografia e adversidades de um clima desértico, fez com que as tropas soviéticas voltassem para casa depois de 10 anos de ocupação. Em 1995 a milícia islâmica fundamentalista Talibã conseguiu avançar, ocupando cerca de 70% do território em 1996 e 90% em 1998. Somente em 2002 os Talibãs foram destituídos por um governo de coalizão multiétnico.

Assinale a alternativa que identifica de forma correta os conflitos descritos.

a) I — Sudão, II — Sri Lanka, III — Bascos, IV — Irã
b) I — República Democrática do Congo, II — Caxemira, III — Bascos, IV — Afeganistão
c) I — Somália, II — Indonésia, III — Ulster, IV — Paquistão
d) I — Sudão, II — Laos, III — Bascos, IV — Iraque
e) I — República Democrática do Congo, II — Caxemira, III — Ulster, IV — Afeganistão

(UFT)  O número de refugiados em todo o mundo aos cuidados do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR/ONU) está em cerca de 10,4 milhões de pessoas, como apontam os últimos dados divulgados pelo ACNUR, em 2010. Abaixo estão listados os 10 (dez) principais países de refúgio e de origem dos refugiados, segundo o ACNUR:


Pelos dados apresentados no quadro acima, é CORRETO afirmar que

a) o continente americano teve o maior numero de países de refúgio entre os 10 (dez) principais apontados pelos dados do ACNUR em 2010, dada a estabilidade econômica e a existência de uma democracia consolidada.
b) o continente europeu, dada a estabilidade financeira e política, é a porção do globo que mais recebe refugiados, o que explica que países europeus estejam entre a maioria apontada entre os 10 (dez) principais países de refúgio do ACNUR.
c) a ausência de países da Oceania na lista dos 10 (dez) principais países de refúgio e de origem de refugiados implica em afirmar que este continente é uma área do globo ausente de conflitos e envolvimentos políticos com a população de refugiados.
d) os continentes asiático e africano são áreas do globo onde os conflitos étnicos, culturais, econômicos e políticos ocorrem com grande intensidade, o que faz com que concentrem o maior número de países de origem de refugiados.
e) os conflitos étnicos, políticos, religiosos e econômicos reorganizam a todo instante as fronteiras políticas entre os Estados-Nações tendo a distribuição da população de refugiados em todo o mundo influenciado diretamente nesse processo.

(UFT)

No mundo atual presenciamos conflitos étnicos, religiosos e povos sem um Estado-Nação definido, como no caso o povo curdo. A população curda chega a 26,3 milhões nos principais países onde esta população vive.
(TAMDJIAN,2005)
Com base na informação, é CORRETO afirmar que os curdos vivem principalmente:

a) Na faixa de gaza entre a Palestina e Israel em que os conflitos são frequentes mediante a disputa de territórios, o povo curdo sofre a violência e é excluso de direitos.
b) Na antiga Alemanha Oriental, com o fim da guerra fria os curdos ficaram sem pátria.
c) Nas Repúblicas Independentes da antiga União das Repúblicas Soviéticas como Lituânia, Estônia, Letônia, em que as disputas pelo território têm ocorrido com um grande número de genocídio.
d) Em países do Oriente Médio como Turquia, Síria, Irã, Iraque e Armênia em que os curdos não têm direitos políticos e são discriminados pelos governos.
e) Em países do Oriente Médio como Arábia Saudita, Iraque, Iêmen, Israel, Líbano e Jordânia em que o petróleo tem sido um dos fatores pela disputa do território em que os curdos ficaram exclusos e sem pátria.

(UPE) Populações inteiras são, às vezes, expulsas de seus territórios. Esses povos sem-território ficam acuados e privados de seus direitos de cidadania e passam a viver em condições extremamente precárias. Exemplifica esse fato a guerra entre as etnias hutu e tutsi, que provocou aproximadamente meio milhão de refugiados. Essa desterritorialização aconteceu na(no, em)

a) Croácia.
b) Eritreia.
c) Azerbaijão.
d) Afeganistão.
e) Ruanda

(UEPB) Observe a área destacada pelas hachuras no mapa ao lado. Ela representa uma região de
grande importância geopolítica pela sua localização na confluência entre Europa, Ásia e África; por ser o berço do judaísmo, do cristianismo e do islamismo e por ser detentora das maiores reservas de petróleo do mundo.


Esta conflituosa região é denominada de

a) Extremo Oriente.
b) Leste Europeu.
c) Oriente Médio.
d) Bálcãs.
e) Cáucaso.

(UNIFESP) As últimas duas décadas foram marcadas pela ocorrência de vários conflitos de caráter étnico, religioso e separatista. O atentado ao metrô de Moscou, em março de 2010, fez ressurgir o movimento separatista da Chechênia.

Sobre essa temática, responda.

a) Qual a localização geográfica da Chechênia?

b) Cite as principais causas desse conflito.

Resposta:

a) A Chechênia localiza-se na região do Cáucaso, entre os mares Negro e Cáspio. Fazia parte da União Soviética até o seu desmembramento, em 1991; a partir daquele ano passou a fazer parte da Federação Russa. Desde então lideranças locais têm lutado pela autonomia completa, declarando a independência da República Chechena da Ichkéria, unidade política até hoje não reconhecida por nenhum pais ou organi­zação supranacional.

b) O conflito recente da Chechênia ocorreu com a declaração de independência, não aceita pela Rússia, que procura manter sua hegemonia sobre a região. Alguns especialistas apontam que entre as causas do conflito está o fato de a Chechênia ter uma população majoritariâmente islâmica e de o governo russo temer que a constituição de um Estado fundamentalista religioso na região sirva de exemplo para outros movimentos separatistas, já que há no pais uma enorme diversidade étnica. Há ainda a preocupação com o controle dos oleodutos e gasodutos que cortam o território da Chechênia.

(UNESP)

No Oriente Médio, a água é um recurso precioso e uma fonte de conflito. A escassez de recursos hídricos está aumentando as tensões políticas entre países e dentro deles, e entre as comunidades e os interesses comerciais. A Guerra dos Seis Dias, em 1967, foi, em parte, a resposta de Israel à proposta da Jordânia de desviar o rio  Jordão para seu próprio uso. A terra tomada na guerra deu-lhe acesso não apenas às águas das cabeceiras do Jordão, como também o controle do aquífero que há por baixo da Cisjordânia, aumentando assim os recursos hídricos em quase 50%.
(Robin Clarke e Jannet King. O Atlas da Água, 2005. Adaptado.)

A partir da leitura do mapa e do texto, pode-se afirmar que a
água é uma questão importante nas negociações entre
a) o Iraque e os turcos.
b) os palestinos e a Síria.
c) o Líbano e a Síria.
d) os iranianos e o Iraque.
e) Israel e os palestinos.

(ESPM) O diálogo a seguir circunscreve-se à realidade política do mapa abaixo, cujo país deixou de existir:

“Foram os sérvios que fizeram isso, pai?” pergunta o garoto de 7 anos. A tensão aumenta, e é prontamente repreendido. “Não fale essa palavra aqui, em voz alta,” aconselha Milomir, visivelmente perturbado.

(Carta Capital, 11 de agosto de 2010.)



(Adaptado de Jayme Brener, 1993.)

A tensão retratada no texto refere-se à:

a) herança deixada pela hegemonia política croata, à época da existência da Iugoslávia e que hoje prossegue na Eslovênia.
b) convivência entre sérvios muçulmanos e bósnios cristãos na atual Bósnia-Herzegovina.
c) convivência entre bósnios-croatas e bósnios-muçulmanos no novo país erigido após a dissolução iugoslava e hoje formado por duas entidades na Bósnia Herzegovina.
d) realidade na atual Sérvia-Montenegro, formada por dois povos rivais, os cristãos ortodoxos e os bósnios muçulmanos.
e) nova realidade vivida no Kossovo, o mais jovem país do mundo, onde convivem duas nações distintas e inimigas, os croatas cristãos e os albaneses muçulmanos.


(UFF)

ESTADOS DOS BÁLCÃS EM 1949 E EM 2008
DURAND, M.F. et alii. Atlas da mundialização. São Paulo:Saraiva, p.75.

Dois fatores fundamentais responsáveis pelas mudanças territoriais, registradas nos mapas, encontram-se em:
a) emergência de nacionalismos e fortalecimento de diferenças culturais
b) controle externo de arsenais nucleares e diversidade étnico-linguística
c) perseguições religiosas e interesses do capital especulativo
d) radicalismos político-ideológicos e desagregação da União Europeia
e) controle da produção de gás e reação à presença militar estrangeira

(FUVEST)

África vive (...) prisioneira de um passado inventado por outros.
Mia Couto, Um retrato sem moldura, in Leila Hernandez, A África na sala de aula. São Paulo: Selo Negro, p.11, 2005.

A frase acima se justifica porque
a) os movimentos de independência na África foram patrocinados pelos países imperialistas, com o objetivo de garantir a exploração econômica do continente.
b) os distintos povos da África preferem negar suas origens étnicas e culturais, pois não há espaço, no mundo de hoje, para a defesa da identidade cultural africana.
c) a colonização britânica do litoral atlântico da África provocou a definitiva associação do continente à escravidão e sua submissão aos projetos de hegemonia europeia no Ocidente.
d) os atuais conflitos dentro do continente são comandados por potências estrangeiras, interessadas em dividir a África para explorar mais facilmente suas riquezas.
e) a maioria das divisões políticas da África definidas pelos colonizadores se manteve, em linhas gerais, mesmo após os movimentos de independência.

(ESPM)

Se a origem da população cigana é alvo de debates acadêmicos, a realidade é que o grupo representa entre 10 milhões e 12 milhões de pessoas na União Europeia.
Para a ONU, a comunidade cigana é atualmente o maior desafio enfrentado pela União Europeia em termos de garantia de direitos humanos entre seus próprios cidadãos. A ONU chama a atenção para as medidas de “cunho racista”, alertando que a decisão pode provocar um surto de xenofobia.

(O Estado de São Paulo – 19/08/2010)

O texto se refere à decisão de um governo europeu de expulsar de seu território 700 ciganos, em apenas 10 dias. Assinale a alternativa que aponte corretamente o país e o governo responsável por tal decisão, bem como a justificativa apresentada:

a) A França, do presidente Nicolas Sarkozy, que alega que os ciganos vivem de forma irregular e constituem ameaça à segurança;
b) A Itália, do primeiro-ministro Silvio Berlusconi, que apoiado por partidos políticos de origem fascista, pratica uma política xenófoba;
c) A Inglaterra, do primeiro-ministro conservador David Cameron, em nome da política de segurança e combate ao terrorismo;
d) A Espanha, do primeiro-ministro Zapatero, em nome do combate à imigração ilegal;
e) A Alemanha, do governo de Angela Merkel, sob a alegação de proteger o mercado de trabalho para os alemães.

VESTIBULAR 2010

(FGV) Observe a foto abaixo.


Mulheres árabes caminham em frente a um painel com a foto do presidente dos EUA, Barack Obama, usando o tradicional lenço palestino, em Jerusalém.
Reprodução de foto de Menahem Kahana/AFP, em “Imagens do Dia”, no BOL Fotos / 14 de junho de 2009 in:http://images.google.com.br/images?hl=ptR&um=1&q=de+Menahem+Kahana+fotos&sa=N&start=20&ndsp=20


A foto acima foi divulgada pela imprensa internacional durante a última eleição geral realizada em Israel. No painel, como se pode observar, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aparece vestindo um tradicional lenço palestino.
Dentre as afirmativas abaixo, assinale a que melhor traduz a mensagem presente na imagem.

a) É uma manifestação positiva da comunidade árabe de Jerusalém, que acredita na possibilidade de o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, contribuir para colocar um fim nos conflitos do Oriente Médio.
b) Trata-se de propaganda elaborada pelos partidos árabes durante as eleições israelenses. Esses partidos defendem que a intervenção de Barack Obama - que possui Hussein no nome - pode contribuir para restabelecer o diálogo entre palestinos e israelenses.
c) Representa uma propaganda da extrema--direita judaica em Israel, que protesta apresentando o presidente norte-americano com o lenço tradicional palestino, para denunciar sua posição pró-árabe, em defesa da criação de um Estado Palestino.
d) Refere-se a uma homenagem prestada pela comunidade judaica de Jerusalém, sobretudo pelos partidos da esquerda israelense, que, ao chamar o presidente dos EUA de Barack Hussein Obama, pretendem destacar sua posição favorável à maior integração entre árabes e judeus.
e) Retrata o presidente dos EUA, Barack Obama, como militante da causa árabe, identificado por essa razão como antissemita e aliado do primeiro ministro de Israel, Binyamin Netanyahu.

(UNESP) Cerca de 90% da população do Oriente Médio é muçulmana.O Islã, no entanto, está longe de ser uma fé monolítica. (...)Ainda que não disponhamos de estatísticas confiáveis, um cálculo crível aponta que 65% dos muçulmanos do Oriente Médio são sunitas e uns 30%, xiitas.

(Dan Smith. O Atlas do Oriente Médio. São Paulo: Publifolha, 2008.)




Em relação aos conflitos religiosos do Oriente Médio, é possível afirmar que

a) a disputa religiosa entre judeus e muçulmanos nunca atrapalhou o amplo intercâmbio comercial na região.
b) os muçulmanos se mantêm politicamente unidos e xiitas e sunitas jamais se opuseram ou se enfrentaram.
c) islamismo, judaísmo e cristianismo nasceram na região, mas só os muçulmanos conservaram seus lugares santos.
d) os judeus reivindicam o controle territorial completo do Oriente Médio, pois são maioria em todos os países da região.
e) a maior população muçulmana não impediu a formação de um Estado judeu, nem proporcionou a criação de um Estado palestino.

(FEI) Os dois países possuem arsenal nuclear e travam uma disputa histórica por um território que é reivindicado por ambos. A falta de disposição para o diálogo e a recusa dos dois países em assinar o
Tratado de não Proliferação Nuclear (TNP) leva à preocupação da comunidade internacional. Os países que são palco desta disputa são:

a) Israel e Irã.
b) Coréia de Sul e Coréia do Norte.
c) Índia e Paquistão.
d) Síria e Israel.
e) Quirziquistão e Turcomenistão.

(UERJ)

Quinze anos depois do genocídio que vitimou mais de 800 mil pessoas, visitar Ruanda ainda é uma espécie de jogo de adivinhação – a cada rosto que passa tenta-se descobrir quem foi vítima e quem foi algoz na tragédia de 1994. O governo do país recorre à união do povo. O censo e as carteiras de identidade étnicas não existem mais, todos agora são apenas considerados ruandeses. O esforço do presidente Paul Kagame em evitar um novo conflito é tão grande que chamar alguém de “tutsi” ou “hutu” de maneira ofensiva é crime, com pena que pode chegar a 14 anos.

Marta Reis

A presença do trauma do genocídio é o principal problema social de Ruanda, maior inclusive que a pobreza. Tratar esse trauma coletivo devia ser prioridade número um, e não transformá-lo num tabu. A política do governo é a do esquecimento por lei, por obrigação. Errada é a vitimização do genocídio,  pois existe uma história de conflitos anterior e posterior ao massacre.

Marcio Gagçiato
Adaptado de O Globo, 12/04/2009

(UERJ) A polêmica sobre os efeitos do genocídio de Ruanda, ocorrido em 1994, aponta para contradições dos processos de constituição de Estados nacionais na África contemporânea. Com base na análise dos textos, a resolução dessas contradições estaria relacionada à adoção das seguintes medidas:

a) conciliação político-religiosa – afirmação das identidades locais
b) punição das diferenças culturais – unificação da memória nacional
c) denúncia da dominação colonial – integração ao mundo globalizado
d) reforço do pertencimento nacional – revisão das heranças da descolonização

(MACK) Em 2003, o governo russo convocou um plebiscito para definir o futuro político da Chechênia. A grande maioria dos votantes apoiou a permanência da Chechênia no interior da Federação Russa. Esse resultado foi entendido pelo governo russo como apoio explícito dos chechenos às propostas de Moscou, que tem interesses para manter esse território sob seu controle.

A respeito desses interesses, analise as afirmativas I, II, III e IV, abaixo.

I. Interesse ambiental, pelo território em que se encontra, às margens do Mar de Aral, fonte de recurso hídrico para o abastecimento de água potável à população urbana de Moscou.
II. Interesse econômico, por ser esse território cortado por dutos, levando o petróleo extraído na Bacia do Cáspio para os portos russos do Mar Negro.
III. Interesse geopolítico, pois uma Chechênia independente estimularia outras repúblicas autônomas da Federação Russa a tentar seguir o mesmo caminho.
IV. Interesse cultural-religioso, pois uma Chechênia livre promoveria o recrudescimento do fundamentalismo islâmico na região, levando grupos de fanáticos a se expandirem por outras áreas autônomas da Rússia asiática.

Estão corretas

a) I e II, apenas.
b) II e III, apenas.
c) I, III e IV, apenas.
d) III e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

(UFG) Há cinco décadas, a China enfrenta protestos que fazem parte da luta pela independência do Tibete. Essa região, ilustrada a seguir, tem forte importância geoestratégica e uma marcante influência dos monges budistas. Baseando-se nestas informações, explique um fator geopolítico, condicionado por questões naturais, que torna essa região importante estrategicamente para o Estado chinês.

. (Adaptado).


Resolução:

A rica hidrografia da região, sendo nascente dos principais rios que abastecem a China (o Huang-Ho, Mekong e Yang Tsé) Por ser uma região de fronteira com países litigiosos (Índia, Nepal), o Planalto Tibetano, onde se situa a maior cordilheira montanhosa do mundo, o Himalaia (e nela o Monte Everest), assume uma importante posição estratégica.

(UFBA)


Com base nas ilustrações, nos mapas e nos conhecimentos sobre conflitos, nacionalismo e internacionalismo, pode-se concluir:

(01) Em I, a maior potência do mundo, ao declarar — através do seu ex-presidente George W. Bush —
guerra ao terror, apresentava alvos determinados e estabelecia regras bem definidas, respeitando o direito internacional.
(02) Em II, o governo de direita, que dirige o país desde o início deste século, é grande aliado dos
Estados Unidos e afirma conduzir uma revolução no país, favorecendo à classe empresarial.
(04) III representa a área atacada militarmente por Israel ao final de 2008, território libanês no litoral do mar Mediterrâneo, numa reação aos frequentes ataques de grupos Fatah, apoiados por seu principal aliado, o Hamas.
(08) Em IV, os conflitos já duram três décadas, envolvendo grupos étnicos e inúmeros clãs que lutaram contra os soviéticos em defesa de seus territórios, sendo que, atualmente, os Estados Unidos e seus aliados da Otan encontram-se nesse país visando conter os ataques do Taliban.
(16) Em V, a incessante luta ideológica entre muçulmanos e hindus — que, no final de 2008, alvejou
Mumbai — é um dos conflitos que envolvem seu território, além da conturbada relação com os países vizinhos.
(32) Em VI, o uso estratégico das riquezas minerais permite à República Democrática do Congo acabar com os conflitos, reconstruir seu território e, consequentemente, ter mais poder de decisão em questões geopolíticas.

Resposta: 24 (08+16)

VESTIBULAR 2009

(PUCMG) A Guerra entre Rússia e Geórgia implica uma reflexão sobre nacionalismo e globalização. Sobre a construção do sentimento nacional no mundo globalizado, marque a única afirmativa CORRETA.

a) A "implosão" do império soviético nos anos 1990 coincide com o surgimento de uma nova geração de nações diferentes daquelas formadas ao longo das lutas anticoloniais. O sistema capitalista global caracteriza o mundo numa movimentação de unificação em torno das grandes potências.
b) O nacionalismo vem sendo esvaziado do seu sentimento de autonomia com a lembrança, de forma constante, de que o mundo se tornou menor e mais integrado, onde vínculos estreitos são forjados entre as economias e as sociedades, Estados e nações numa "comunidade internacional".
c) A profecia da "aldeia global" de Mc Luhan vem sendo confirmada pela generalização dos meios de transporte de massa e de comunicação eletrônica. Certos símbolos, como o da Coca-cola, tornaram-se universais, invertendo o nacionalismo por universalismo com a ideia de que todos somos um.
d) O desafio contemporâneo é marcado pelo paradoxo da tendência à globalização e à superação desta, criando laços estreitos das nações do mundo entre si por um lado, e, simultaneamente, pelos conflitos que se assentam sobre as identidades políticas e à fragmentação étnica por outro.

(UEPB)

“Tropas da República da Geórgia e da Rússia iniciaram nesta sexta (08/08/2008) um conflito armado, numa disputa pela Ossétia do Sul. A região vive em conflito desde o fim da antiga União Soviética, em 1991. A Ossétia do Sul pertence à Geórgia, mas tem um governo autônomo e luta pela independência com o apoio da Rússia”.

Disponível in: http://jornalnacional.globo.com/Telejornais/JN/0,,MUL717429-10406,00-GEORGIA+E+RUSSIA+INICIAM+CONFLITO+ARMADO.html Acesso em 08/08/2008.

O conflito que inquieta as grandes potências e atraiu a atenção mundial em pleno período das Olimpíadas 2008 explica-se a partir
a) da emergência das tensões étnico-nacionalistas que se mantiveram submersas diante do conflito Leste-Oeste, mas que proliferaram em todo o mundo com o fim da guerra fria e da bipolaridade.
b) da emergência do novo terrorismo global, que se mune de todo arsenal financeiro e tecnológico além de contar com a ajuda de Estados-Nacionais que dão apoio militar a grupos terroristas.
c) da internacionalização das guerrilhas que se beneficiam do desenvolvimento dos meios de comunicação e têm no narcotráfico a principal fonte de financiamento para combater Estados-Nacionais constituídos.
d) do ranço da guerra fria, no qual Estados Unidos e Rússia tomam partidos opostos e não só apóiam, mas até estimulam alguns conflitos com a finalidade de desenvolverem suas indústrias bélicas com a venda de armamentos.
e) do surgimento do mais novo tipo de tensão mundial, que é tipicamente cultural, no qual algumas etnias se opõem ao avanço da globalização e lutam para preservar sua identidade, religião e costumes.

(UNIFESP) Observe o mapa.


(Simielli, 2007. Adaptado.)

Conflitos políticos, de matriz religiosa, geram contestações fronteiriças entre os países I e II, que são, respectivamente,
a) Paquistão e Índia.
b) China e Índia.
c) Afeganistão e Paquistão.
d) Bangladesh e China.
e) Bangladesh e Afeganistão.

VESTIBULAR 2008


(CÁSPER LÍBERO) A Folha Online publicou, em 10/7/2007, a seguinte notícia:

O premiê italiano Romano Prodi pediu nesta terça-feira mais apoio da comunidade internacional para o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas. O pedido veio após uma reunião entre os dois líderes
em Ramallah, na Cisjordânia. Para Prodi, apenas a ajuda humanitária não é suficiente para dar “esperança aos palestinos”. “Este é o momento de dar esperança aos palestinos”, afirmou o premiê em uma entrevista coletiva após sua reunião em Ramallah. Ele disse também que seu governo buscará novas vias de apoio ao presidente da ANP. A reunião, de cerca de uma hora e meia, tratou da situação dos territórios palestinos (...)
Devido à nova dimensão que os conflitos nos territórios palestinos adquiriram no ano de 2007 (situação muito próxima à de uma guerra civil), identifique as afirmações corretas sobre a atual situação vivida na Palestina.
I. O governo palestino até os atuais conflitos era exercido por uma coalização entre o Hamas e o Fatah.
II. O Fatah quer um governo islâmico para a palestina e sofre a oposição do Hezbollah.
III. O presidente da ANP, Mahmoud Abbas, é membro do Fatah.
IV. A Autoridade Nacional Palestina inclui Cisjordânia, Faixa de Gaza e os territórios do sul do Líbano.
V. Israel não quer que os territórios do sul do Líbano fiquem com os palestinos e isso desencadeou uma guerra civil entre o Fatah e o Hamas.

Estão corretas:

a) I e V.
b) I e III.
c) III e V.
d) II e V.
e) III e IV.

(UNEAL) A Caxemira é um dos focos de conflito na atualidade. Ela é o pivô de uma disputa entre os seguintes países:

a) China e Índia.
b) Paquistão e China.
c) Paquistão e Índia.
d) Índia, Paquistão e Afeganistão.
e) China, Índia e Paquistão.

(UNIPAM) Segundo o historiador britânico, Eric Hobsbawm, o “breve século XX” encerrou-se com a fragmentação do império soviético e com o conseqüente fracasso da referência sócio-ideológica do
Socialismo Real. No entanto, é possível, perante a fragilidade das instituições multilaterais, observar a continuidade de manifestações étnicas, religiosas e nacional-territoriais. O fim de uma Era não possibilitou a descontinuidade de ocorrências violentas em áreas de conflitos.

Sobre os principais focos de conflitos na atualidade, é INCORRETO afirmar:

a) A expressão nacional emancipacionista, liderada pelo P.K.K. (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), reflete os princípios da causa curda e coloca em xeque as diretrizes da Doutrina Bush, em relação à estabilização político-institucional no Iraque.
b) A Província Autônoma da Chechênia, localizada na região montanhosa do Cáucaso russo, próxima
ao mar Cáspio, é um dos principais focos de tensão separatista, em razão das diferenças de  identidades nacionais entre russos e chechenos, além da importância energética da região.
c) A vitória parlamentar do Hamas, nas eleições palestinas de 2006, significou o fim do sectarismo político-religioso em relação ao Fatah e uma possibilidade maior para a formação definitiva do Estado Palestino.
d) A guerrilha muçulmana, na Caxemira Indiana, luta pela independência em relação à Índia e recebe o apoio do governo do Paquistão. Esse envolvimento desestabiliza a região em razão da potencialidade bélica nuclear dos respectivos países.

(ESPM) Leia a matéria:

Os confrontos, que já duram vários dias, são o mais recente episódio de violência em um país marcado por diferenças religiosas e étnicas e por uma história de conflitos sangrentos. Outro episódio recente foi o conflito militar entre Israel e o grupo militante Hezbollah, em julho de 2006, que uniu a população durante os mais de trinta dias de bombardeio contra o país, mas parece ter agravado muito as tensões internas ...

(www.bbc.com.uk - acesso: 25/08/07)

Indique o país e a justificativa correta em relação ao texto:

a) Iraque, país que concentra hoje vários grupos terroristas.
b) Síria, país que dá suporte logístico ao Hezbollah e que combateu Israel durante a invasão ao sul do país em 2006.
c) Afeganistão, que após ter destituído o regime Taleban, resistiu aos ataques do Hezbollah em 2006.
d) Irã, dividido internamente entre xiitas e sunitas e inimigo histórico de Israel.
e) Líbano, país que apresenta uma constituição confessional devido ao emaranhado religioso.

(UFPI-específica) Após o término da bipolaridade, que caracterizou o período da Guerra Fria, os conflitos armados:

1 ( ) Diminuíram, devido ao surgimento de outros pólos de poder no mundo.
2 ( ) Diminuíram, como conseqüência da derrota do socialismo soviético.
3 ( ) Aumentaram, devido à retomada de antigas diferenças étnicas e religiosas entre os povos envolvidos.
4 ( ) Aumentaram, em função do crescimento populacional de países envolvidos nos conflitos.

Resposta: FFVF

(UFES) Atenção! Analise as informações constantes no gráfico abaixo para responder a questão.


(Fonte: FOUCHER, M. Israel-Palestine: quelles frontières? In: Hérodote: Revue de géographie et de géopolitique. Paris, n. 29/30, p. 101, 1983. Adaptado.)

As nascentes do rio Jordão se localizam no encontro de fronteiras entre Israel, Síria e Líbano. O Jordão flui em direção ao sul, passando pelo lago Tiberíades e desaguando no Mar Morto. Em relação aos recursos hídricos dessa região, é INCORRETO afirmar que

a) o projeto hídrico de Israel e a oposição da Síria a esse projeto foi um dos motivos da Guerra dos Seis Dias.
b) as nascentes do Jordão situam-se nas Colinas de Golã, que foram ocupadas por Israel durante a Guerra dos Seis Dias, perdurando essa ocupação até hoje.
c) uma parcela maior dos recursos hídricos do rio Jordão era reivindicada pelo Estado Palestino e pela Jordânia.
d) o aqüífero pouco volumoso da planície costeira ocidental do território israelense contrasta com o volumoso lençol subterrâneo do platô central, situado no território da Cisjordânia.
e) as águas do rio Jordão, no trecho em que ele corta o norte da península do Sinai, foram objeto de disputa entre Israel e Egito, a qual teve fim com o acordo de Camp David.

(PUCRIO)

A charge apresentada acima:
I −caracteriza os problemas de ordem étnico-territorial na Europa dos Bálcãs, que refletem as seculares disputas
numa região dominada pelos sérvios, no último século;
II −representa o conflito entre as identidades nacionais na Europa, reforçado pelo desmonte dos Estados socialistas no Leste europeu, na última década do século XX;
III −exemplifica a causa típica dos conflitos que assolaram os Bálcãs, principalmente após a Guerra Fria, quando
os sérvios espalhados por outros territórios da antiga Iugoslávia lutavam pela manutenção da sua hegemonia
na região.

Das afirmações acima, está(ão) correta(s):

a) apenas a I.
b) apenas a II.
c) apenas a III.
d) apenas a I e II.
e) todas.

(IBMEC)

 “(...) a intensidade do processo de globalização provoca graves efeitos desestabilizadores, criando um terreno fértil para a fragmentação social e territorial. Uma globalização que aprofunda as desigualdades sociais, nacionais e regionais e gera um fenômeno brutal de exclusão, tem produzido reações como o nacionalismo tribal, o separatismo e conflitos violentos, que estão marcando o fim do século. São os fatores ‘disfuncionais’, destrutivos e regressivos que constituem perigosos ‘efeitos colaterais’ da globalização da economia.”

 (Adaptado de VIZENTINI, Paulo Fagundes in http://educaterra.terra.com.br/vizentini)

Sobre o processo descrito no texto, é correto afirmar que:

a) mesmo com a integração em curso o continente europeu ainda vive manifestações separatistas, como ocorre na Bélgica, com a rivalidade entre Flandres e Valônia.
b) é possível associar o sentimento nacionalista aos integrantes do IRA (Exército Republicano Irlandês), o que impede qualquer acordo de paz com os britânicos.
c) as disputas regionais na Espanha foram definitivamente resolvidas pelos acordos assinados, durante o ano de 2007, por galegos, bascos e catalães.
d) na América, uma das mais importantes manifestações separatistas ocorre no Canadá, onde os moradores de Quebec buscam autonomia cultural ante o domínio francês.
e) mesmo com um governo de origem indígena, a Bolívia não consegue superar as disputas entre os nativos e os criollos, como atesta o movimento separatista andino.

(UFRR) “Ate o final da decada de 80, existiam na Africa treze conflitos regionais (Angola, Etiópia, Libéria,
Sudão, Chade, entre outros). Um ano depois, esse número diminuiu para seis diante dos altos custos
de sua manutenção. Com o relaxamento das tensões EUA―URSS (distensão), os países africanos
também deixaram de ser o desencalhe de armas convencionais dos dois países. Entre 1984 e 1987,
as despesas militares diminuíram de 5,2% do PNB acumulado dos países em conflito para cerca de
4,3%. O cenário que resulta é desolador. Destruição econômica e desestruturação social, com a
disseminacao da fome e da epidemia da AIDS.”

(OLIVA, J. e GIANSANTI, R. Espaço e modernidade: temas da geografia mundial. São Paulo: Atual, 1995).

Os conflitos existentes na África, juntamente com a fome e as epidemias, são elementos que constituem
o triste cenário deste continente. Entre as explicações para compreendermos a existência dessas intermináveis guerras regionais, podemos apontar que:

a) A atual disputa pelo potencial mercado de alimentos impulsiona as grandes potências africanas a investirem maciçamente na produção e venda de armamentos.
b) O continente africano exerce importante papel estratégico nas relações políticas e ideológicas entre os países que compõem os blocos econômicos mundiais.
c) Os conflitos ocorrem por conta do interesse de diversas tribos em constituírem um espaço comum africano para agregar as diversas comunidades em um mesmo grupo étnico-lingüístico-cultural.
d) As atuais fronteiras foram traçadas pelos colonizadores europeus sem respeitar a antiga
organização tribal e a distribuição geográfica das etnias no continente.
e) As comunidades étnicas optaram por entrar em conflitos armados estimulados pela inserção do
capitalismo neoliberal e, principalmente, por conta dos diversos produtos industrializados disponíveis nos mercados africanos.

(UFRR)

“Em pleno seculo XXI, as religioes continuam tendo grande influência no contexto social e cultural de diversos países e em amplas regiões do planeta. O poder da fé é de tal magnitude que é capaz de influir em aspectos políticos, sociais e econômicos de nações cujas autoridades, leis ou fronteiras são fortemente delimitadas por questões religiosas. Além disso, variados conflitos no mundo nos últimos tempos têm sua origem em divergências religiosas. (...) Jerusalém é a cidade sagrada de três grandes religiões (...). Os três credos têm em Jerusalém marcos básicos de sua doutrina e de sua historia.”

(In.: Atlas Geográfico Mundial para conhecer melhor o mundo em que vivemos vol.01
Mundo. Barcelona: Editorial Sol 90, 2005.)

O texto acima apresenta Jerusalém como a cidade sagrada de três religiões. São elas:

a) judaísmo, hinduísmo e islamismo
b) judaísmo, cristianismo e islamismo
c) judaísmo, budismo e islamismo
d) judaísmo, confucionismo e islamismo
e) judaísmo, xintoísmo e islamismo

(ESPM) Leia o texto:

... a existência de país supõe um território. Mas a existência de uma nação nem sempre é acompanhada da posse de um território e nem sempre supõe a existência de um Estado.
Pode-se falar, portanto, de territorialidade sem Estado, mas é praticamente impossível nos referirmos a um Estado sem território.

(Milton Santos, O Brasil, 2000)

Das palavras de Milton Santos, podemos deduzir:

a) Nação, Estado e território são categorias excludentes.
b) Não existe nação sem Estado.
c) A categoria território é imprescindível à existência de um Estado.
d) As fronteiras delimitam os territórios, mas não os Estados.
e) Um Estado é sempre composto por uma única nação.

(UECE Localizado no sudoeste do continente asiático, o Oriente Médio é um território limitado pelos
mares Negro, Mediterrâneo e Vermelho, pelo Golfo Pérsico e pelo Mar Arábico, no Oceano Índico. Em termos geopolíticos é considerado como um barril de pólvora devido ao complexo e explosivo clima político, fundamentado por princípios religiosos que orientam permanentes conflitos. Sobre o território em questão, assinale o INCORRETO.

a) Nele se concentra a maior riqueza do continente asiático. Localizados no Golfo Pérsico, os seus lençóis petrolíferos são considerados os maiores do globo terrestre.
b) A Faixa de Gaza e a Cisjordânia constituem as principais áreas de conflitos entre árabes e judeus, palcos de sangrentas manifestações travadas entre radicais islâmicos, bem como, de radicas israelitas
que não desejam a formação de um estado palestino.
c) O fundamentalismo islâmico, cujo ideário é a revogação dos costumes modernos e a aplicação da lei corânica à vida cotidiana, bem como, uma rejeição completa ao mundo moderno, galgaram o cenário político do Oriente Médio, a partir da Revolução Xiita iraniana, em 1979.
d) Com exceção do Líbano, onde a maioria da população segue o judaísmo, os demais países do Oriente Médio professam o islamismo como religião.


VESTIBULAR 2007

(UESB) Nas últimas décadas do século XX, ao mesmo tempo em que se intensificava o processo de globalização, ampliavam-se os conflitos étnico-nacionalistas, muitos deles relacionados a movimentos separatistas. A ampliação desses conflitos revela uma situação aparentemente contraditória, pois, ao mesmo tempo em que a reprodução da modernidade, em nível global, tende a homogeneizar hábitos por meio de consumo e da indústria cultural, e integrar mercados por meio das organizações supranacionais, diversos povos lutam por sua autonomia, fragmentando o mundo num número cada vez maior de países.

LUCCI, E. A; BRANCO, A. L; MENDONÇA, C. Geografia Geral e do Brasil – Ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2003, p. 229.

Sobre os conflitos mundiais, é correto afirmar:

(01) Os conflitos entre judeus e palestinos começaram a partir da Segunda Guerra Mundial, quando a ONU criou o Estado de Israel.
(02) Os conflitos armados promovidos pelo ETA se intensificaram com os atentados terroristas em Madri.
(03) O IRA abandonou a luta armada e destruiu todo o seu arsenal, mas mantém sua luta por meios políticos.
(04) A Chechênia obteve sua independência da Federação Russa, motivo pelo qual cessaram os conflitos na região.
(05) Os conflitos internos no continente africano são sempre motivados por rivalidades políticas e religiosas.

Resposta: 3

(UFAM) O sistema de castas, apesar de extinto por lei, ainda se mantém vivo na cultura do povo:

a) druso
b) chinês               
c) muçulmano
d) indiano             
e) turco

(UFRJ)


                                                     “UMA REGIÃO QUENTE”

“ O Oriente Médio é uma região à qual a imprensa sempre se refere como uma área conturbada, espécie de barril de pólvora com o estopim aceso, prestes a explodir. Essa imagem explica-se em função de ser essa região do mundo o lugar onde talvez ocorram os conflitos mais intensos.”
                                              
Adaptado de Olic, Nelson B., Oriente Médio, São Paulo: Moderna. 1991.

Apresente três fatores que originam os conflitos entre países do Oriente Médio.

Resposta:

Entre os fatores geradores desses conflitos encontram-se: petróleo; território; água; religiões e facções religiosas.

(UFPEL A disputa que se trava no Oriente Médio entre Israel e Líbano e um confronto geopolítico que ha. mais de meio século perdura na definição das fronteiras entre os Estados envolvidos.  Em 28 de junho de 2006, o exercito israelense atacou a Faixa de Gaza e prendeu vários ministros da Autoridade Nacional Palestina na Cisjordânia, sob a alegação de resgatar um soldado seqüestrado por extremistas palestinos. Na verdade, o convívio entre israelenses e palestinos tem raízes históricas, em que pesam elementos definidores do espaço, tais como estado, nação, fronteiras e territórios.

Com base em seus conhecimentos e nas informações acima sobre Israel e os Territórios
Palestinos, é correto afirmar que

a) a independência de Israel permitiu que os judeus fossem retirados do território que ocupavam e formassem um estado na Faixa de Gaza e na Cisjordânia, motivando protesto por parte dos árabes.
b) a ONU aprovou, em 1947, a divisão da Palestina, então administrada pelos britânicos, em um estado árabe e outro judeu, possibilitando a criação de Israel, em 1948.
c) os palestinos ficaram sem território e passaram a viver em acampamentos, apesar de receberem apoio político externo, sobretudo dos EUA.
d) a Organização para Libertação da Palestina (OLP) foi fundada, em 1964, com o objetivo de obter a soberania dos palestinos sobre a região, ainda que permanecessem sob o domínio de Israel.
e) a Autoridade Nacional Palestina (ANP) foi criada em 1993, pelo Acordo de Oslo. Alem disso, estava prevista a devolução dos territórios da Faixa de Gaza e da Cisjordânia para controle libanês.
f) I.R.

(UFG) Observe o mapa a seguir.


A intrincada dinâmica da política internacional, no início do século XXI, está ligada a questões étnicas, religiosas, nacionalistas e ao tráfico de drogas. Considerando os tipos de conflitos existentes e sua localização geográfica, visualizada no mapa,

a) identifique o principal conflito existente nas áreas A e B;
b) caracterize o principal conflito existente na área C.

Resposta:

a)

A – nacionalistas ou religiosos.
B – étnicos.

b) Um conflito, dos indicados abaixo, além de outros:

- Nacionalista ou narcotráfico

Uma das caracterizações, das indicadas abaixo, além de outras:

- Os movimentos guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e do Exército de Libertação Nacional (ELN) são de orientações marxistas e controlam quase metade do território colombiano e têm no narcotráfico a principal fonte de renda (coca e papoula).

- Os grupos paramilitares de extrema direita e de esquadrão da morte objetivam combater os grupos esquerdistas mediante o slogan adotado pela Autodefesa da Colômbia (AUC). Este grupo é financiado pelo narcotráfico.

(UNESP) A divisão territorial da ex-Iugoslávia originou seis novos países. Assinale a alternativa que contém o nome destes países e sua localização geográfica.

a) República Tcheca, Eslovênia, Macedônia, Croácia, Sérvia, Montenegro; Europa do Sul.
b) Albânia, Macedônia, Bósnia, Croácia, Sérvia, Montenegro; Europa Ocidental.
c) Romênia, Croácia, Eslovênia, Bósnia, Sérvia, Montenegro; Europa do Norte.
d) Bósnia, Macedônia, Croácia, Eslovênia, Sérvia, Montenegro; Europa Oriental.
e) Bulgária, Bósnia, Eslovênia, Macedônia, Sérvia, Montenegro; Europa Mediterrânea.

(PUCRS) Responder à questão considerando as relações entre as áreas apresentadas e os fatos correspondentes.


Existe correlação adequada entre a área e a respectiva característica em

a) I e II
b) I e IV
c) II e III
d) II e IV
e) I, III e IV

(ESPM) Após anos de violência, a Sérvia assistiu em dezembro de 2006 ao plebiscito na região para decidir sobre o futuro da soberania do sul. No momento, a região está sob intervenção da Otan. A Albânia, interessada direta na questão, acompanha de perto o pleito.
A região em questão é:

a) Bósnia Herzegóvina.
b) Montenegro.
c) Krajina.
d) Voivodina.
e) Kossovo.

(ESPM) Observe o texto que aborda a recente crise no Líbano:

Como ensina a Geografia Política, entregar território significa derrota política; ao vencedor, as terras (e não as batatas). Acossado internamente e assistindo a uma possível conexão xiita Irã-Hezbollah, via Síria, Israel tratou de agir.
(Carta Capital na Escola, setembro, 2006.)

Sobre o cenário geopolítico do Oriente Médio abordado pela matéria, podemos inferir que:
a) O grupo Hezbollah reivindica a devolução das Colinas de Golan ao Líbano, ocupadas por Israel desde a Guerra dos Seis Dias, em 1973.
b) A conexão religiosa mencionada no texto, envolve o Irã, Líbano e a Síria, três países de maioria xiita.
c) O Hezbollah é produto da ocupação israelense no sul do Líbano em 1982 e atua na região com freqüentes ataques à Israel.
d) Ao lado do Hammas, o Hezbollah é um grupo palestino que tem sua base na Faixa de Gaza.
e) A partir da Cisjordânia, o Hezbollah faz incursões a Israel e reivindica a devolução dessa importante e fértil região.

Nenhum comentário: