sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

O Brasil e a globalização - Questões de vestibular

VESTIBULAR 2014

(IFBA)

Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=27390. Acesso em: 10 de setembro de 2013.

No contexto da Nova República no Brasil, a charge acima apresenta uma crítica

a) ao governo Collor de Melo, responsável pela consolidação da política monopolista no país.
b) à política neoliberal encampada pelos governos Lula e Dilma, cuja consequência foi o aumento da pobreza no país.
c) ao período das privatizações brasileiras, como consequência da ação das classes trabalhadoras na defesa da autonomia do mercado.
d) à ampliação da participação do Estado no processo industrial do país, a partir do aumento da intervenção econômica durante o governo do PSDB.
e) ao neoliberalismo que caracterizou a chamada Era FHC e foi responsável pelo desmanche do Estado nacional e maior concentração de renda.

(FGV-eco) A questão está relacionada ao gráfico e ao texto apresentados.

(http://www.mme.gov.br/sgm/galerias/arquivos/plano_duo_decenal/estudos_economia_setor_mineral/P01_RT03_Perspectivas_de_
evoluxo_das_trocas_setoriais_entre_as_economias_brasileira_e_mundial_a_ mxdio_e_longo_prazos.pdf)

Desde 2007, os produtos básicos sinalizam uma estabilização no quantum importado, apresentando pequena variação entre as quantidades máxima e mínima em cada ano. Por sua vez, os produtos semimanufaturados, após período de estabilidade, começam a mostrar tendência de crescimento.
Enquanto isso, as quantidades importadas de produtos manufaturados tiveram crescimento contínuo e foram fortemente aceleradas nos dois últimos anos, impulsionadas pela demanda doméstica e pela forte valorização do real.

(http://www.aeb.org.br/userfiles/file/AEB%20%20Radiografia%20 Com%C3%A9rcio%20Exterior%20Brasil.pdf. Adaptado)

A leitura das características do comércio internacional do Brasil em dois momentos (1995 e 2007) permite concluir que:
a) somente uma maior nacionalização da economia permitirá ao Brasil superar o atraso tecnológico, que o torna dependente da importação de produtos industrializados.
b) mesmo com os esforços desenvolvimentistas do Estado, o Brasil conserva sua vocação agrícola, já que a exportação de commodities é suficiente para custear a importação de produtos industrializados.
c) embora o Brasil se equipare em termos de competitividade com outros países industrializados, o forte crescimento do mercado interno exige a importação de manufaturados.
d) apesar da posição do Brasil na Nova Divisão Internacional do Trabalho, o país ainda mantém a dependência na importação de produtos de alto valor agregado.
e) o fato de as atividades industriais manterem-se fortemente concentradas explica a baixa produção e a necessidade de importação de bens manufaturados.

(UNICAMP)


Considerando os Blocos Econômicos, a União Europeia (27 países em 2011) permanece como relevante importador de mercadorias brasileiras. Considerando os países individualmente, a China vem se destacando, desde 2009, como o principal destino das exportações brasileiras: em 2005 era o terceiro importador brasileiro, atrás da Alemanha (1o) e dos EUA (2o). Outro destaque importante das relações comerciais do Brasil é a Argentina: nos últimos dez anos, o valor das exportações para esse país saltou de US$ 5 bilhões para US$ 23 bilhões.

a) Quais são os principais produtos que o Brasil exporta para a China?

b) Fator Agregado é um conceito que agrupa os produtos exportados em três categorias: básicos, semimanufaturados e manufaturados. Considerando o Fator Agregado, qual é a categoria de produtos que o Brasil mais exporta para a Argentina e que contexto institucional tem permitido avançar numa melhor integração com os vizinhos brasileiros da América do Sul?

Respostas.

a) Os principais produtos que o Brasil exporta para a China são as commodities minerais (caso do minério de ferro) e agrícola (caso da soja).

b) A categoria de produtos que o Brasil mais exporta para a Argentina é a dos manufaturados. O contexto institucional é o do Mercosul, instituição que tem permitido maior comércio entre os países membros plenos (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela) e países membros associados (Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru; Guiana e Suriname estão em processo de adesão). A TEC (Tarifa Externa Comum) tem o objetivo de ativar maior circulação de mercadorias e serviços, buscando adequar as tarifas entre os países.

(UNIMONTES) O Fundo Monetário Internacional (FMI) manteve a projeção de crescimento do Brasil em 2013, mas reduziu a de 2014. Se o crescimento de 2,5% se confirmar em 2014, esse será a menor alta entre os emergentes.
Apesar de a projeção ter sido cortada, a Índia deve crescer 5,1% em 2014 e 3,8% em 2013. As projeções
para o PIB da China também foram reduzidas, e o documento diz que o país asiático terá, nos próximos
anos, um ritmo menos intenso de crescimento do que vinha registrando. Em 2013, a previsão de crescimento da economia baixou de 7,8% para 7,6%. No ano que vem, foi reduzida de 7,7% para 7,3%. No caso da Rússia, o PIB deve crescer 3% em 2014 e 1,5% em 2013. O documento ainda calcula uma alta de 2,9% da economia da África do Sul em 2014 e de 2% em 2013.
Os países emergentes, ressalta o FMI, estão registrando crescimento menor e devem contribuir menos com o avanço do PIB mundial neste ano e nos próximos. As taxas de expansão desses mercados estão em torno de três pontos porcentuais abaixo do que eram em 2010, com Brasil, Índia e China respondendo por dois terços do declínio. No caso do Brasil e Índia, o relatório destaca que parte da desaceleração se deve a uma infraestrutura insuficiente, que limita uma maior expansão da atividade, além de questões regulatórias.

Fonte: Agência Estado, 8-10-2013.

De acordo com o texto, podemos afirmar que

a) os países emergentes apresentarão as menores taxas de crescimento econômico entre os países
industrializados.
b) o grupo dos BRICs terá uma expansão econômica, mesmo que em menor nível que o previsto, mas
ajudará o crescimento da economia mundial.
c) a China será o país com o menor crescimento da Ásia, uma vez que o Japão e a Índia estão entre os
maiores PIBs do mundo.
d) a infraestrutura é a principal responsável pela crise econômica vivenciada pelos países do bloco dos
BRICS.

VESTIBULAR 2013

(UCS) O governo Collor (1990-1992) inaugurou uma fase na história política brasileira denominada “neoliberalismo”. Considere as seguintes afirmativas sobre o significado desse termo.

I. Trata-se da reedição do liberalismo clássico, com uma nova roupagem: defesa do Estado mínimo, que leva às privatizações, e da flexibilização das leis trabalhistas.
II. É uma vertente do antigo desenvolvimentismo, que imperou no Brasil nos anos 50, defendendo a manutenção das empresas estatais e abrindo o mercado nacional à penetração do capital estrangeiro.
III. Seus seguidores defendem que as conquistas trabalhistas sejam intocáveis; em função disso, há uma forte tendência de o movimento sindical apoiar as medidas neoliberais.

Das afirmativas acima, pode-se dizer que

a) apenas I está correta.
b) apenas II está correta.
c) apenas I e II estão corretas.
d) apenas II e III estão corretas.
e) I, II e III estão corretas.

(UDESC) A década de 90, sobretudo a primeira metade, é reconhecida como um período de estabilidade da economia e de avanços sociais importantes, no Brasil.

Analise as proposições sobre a década de 90 e as questões correlatas.
I. De maneira geral pode-se inferir que a implantação da nova moeda – o Real, e o controle da inflação permitiram aumento do consumo e dos índices de desenvolvimento humano, diminuição da pobreza, melhor distribuição de renda.
II. Certamente, pode-se afirmar que houve avanços sociais importantes no Brasil, mas a década de 90 também foi marcada por conflitos e lutas travadas em prol de direitos e ampliação de conquistas sociais. A exemplo, foram as lutas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), dos movimentos em defesa dos indígenas, movimentos negros, feministas, afrodescendentes e ecologistas.
III. A década de 90 também foi marcada por crises. A exemplo, a crise econômica internacional no final da década que colocou a economia brasileira em dificuldades; a ocorrência de privatizações controversas e o crescimento do défict público.
IV. Na década de 90, inserção do país na ordem política internacional, os principais pontos da política externa pautavam-se no cultivo de relacionamento pacífico com os países vizinhos e na política de fortalecimento das relações regionais e conjuntas, como as voltadas ao Mercosul e à União Europeia, dentre outras.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e IV são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.
e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

(MACK) Desde a crise financeira mundial, deflagrada nos EUA em 2008, muitos governos têm adotado medidas para a sua superação. Assinale a alternativa correta sobre o tipo de medidas de política econômica adotadas no Brasil.

a) Liberal clássico, com ampla abertura a importações que visam dinamizar o mercado interno e a competição com empresas nacionais.
b) Neoliberal, em que o Estado amplia a sua participação em setores considerados estratégicos.
c) Socialista, em razão da ideologia esquerdista dos integrantes do governo.
d) Desenvolvimentista, em que o Estado utiliza mecanismos como isenção de impostos, redução de juros e aumento do protecionismo.
e) Globalizada, em que o país se torna aberto a qualquer tipo de movimentação financeira com outros países, sem qualquer restrição legal.

(IFSuldeMinas) Assinale a alternativa que melhor interprete a tabela abaixo:

ttp://www.geografiaparatodos.com.br/img/infograficos/retrato_dos_bricsh.jpg
Fonte: http://www.geografiaparatodos.com.br/img/infograficos/retrato_dos_bricsh.jpg (acesso em 13 de outubro de 2012).

a) O termo BRIC foi criado em 2001 pelo economista inglês Jim O'Neill para fazer referência a todos os países em desenvolvimento do planeta, exceto os já incorporados ao mundo desenvolvido como Brasil, China e Rússia.
b) Estes países emergentes possuem características comuns como, por exemplo, o bom crescimento econômico. Especialistas indicam que, em breve, a Rússia, herdeira política e econômica da antiga União Soviética, ultrapassará facilmente o PIB da China e será a segunda economia mundial.
c) Ao contrário do que algumas pessoas pensam, estes países não compõem um bloco econômico, apenas compartilham de uma situação econômica com índices de desenvolvimento e situações econômicas parecidas. Eles formam uma espécie de aliança que busca ganhar força no cenário político e econômico internacional, diante da defesa de interesses comuns.
d) Brasil e China, mesmo sendo os mais populosos dos BRICs, apresentam índices de crescimento econômico elevados e, portanto, estão bem qualificados no quadro do Índice de Desenvolvimento Humano – IDH.

(FATEC) Observe o mapa.

http://3.bp.blogspot.com/-6srIRjK8W8Y/Thrf4QFoewI/AAAAAAAAGMA/BN2JKNcDvBo/s1600/BRICS.png


É correto afirmar que as regiões destacadas em preto no mapa representam os países que
a) formam os BRICS, conjunto de países emergentes, que possuem características comuns como, por exemplo, relevante crescimento econômico.
b) priorizam a energia nuclear como matriz energética e, por esse motivo, investem no enriquecimento de urânio para abastecer suas usinas.
c) são os maiores exportadores de produtos primários, como a cana-de-açúcar, banana e soja, por serem países de solo fértil.
d) formam o bloco econômico NAFTA, que tem como finalidade eliminar as barreiras alfandegárias entre seus membros.
e) formam o bloco denominado G5, que se caracteriza pela desaceleração da industrialização e pela crise econômica.

(ESPM) A criação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDE), para recolher fundos para a criação de empresas estatais de energia, transporte, siderurgia; a criação do Instituto Brasileiro do Café (IBC) e a do Ministério da Saúde (que se desliga do Ministério da Educação); a formulação de um Plano Geral de Industrialização; a criação do Serviço de Bem-Estar Social, do Instituto de Migração e Colonização, do Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq) foram realizações:

a) do governo de Getúlio Vargas (1951- 1954);
b)do governo de Eurico Dutra (1946-1950);
c) do governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961);
d) do governo de João Goulart ( 1961-1964 );
e) do governo do Marechal Castello Branco (1964-1967).

(UFGD) Observe a foto a seguir.

7.jpg

O time dos emergentes: (da esq. para a dir.) Dilma Rousseff, do Brasil; Dimitry Medvedev, da Rússia; Manmohan Singh, da Índia; Hu Jintao, da China; e Jacob Zuma, da África do Sul, em reunião dos Brics, em Nova Délhi.
(Disponível em: Acesso em: 10 out. 2012).

(UFGD) Os líderes políticos reunidos na foto representam o conjunto de países que têm se destacado no quadro da economia mundial recentemente. Sobre esse conjunto de países, assinale a alternativa correta.

a) Com exceção da África do Sul, todos os demais são considerados grandes potências econômicas em razão de terem conseguido, nos últimos 10 anos, eliminar completamente a pobreza de seus territórios.
b) Compõem um bloco denominado BRICS que se formou a partir de mudanças significativas no cenário mundial e aponta transformações quanto ao papel e importância dos países em desenvolvimento nesse contexto.
c) Todos, sem exceção, conseguiram atingir altos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) nos últimos 10 anos e, por isso, são considerados potências emergentes no cenário econômico mundial.
d) Formam um bloco econômico denominado BRICS, que em 2011 superou a União Europeia e NAFTA em participação na economia mundial considerando- se o valor do PIB.
e) Possuem várias características comuns no tocante à língua e demais elementos culturais, o que os mobilizou a formarem um bloco visando a uma participação econômica mais significativa no cenário mundial.

(UNCISAL) Leia o texto com atenção.

Uma pesquisadora produziu as seguintes características para o Brasil: “Brasil, quinto país do mundo em extensão territorial, é o mais vasto do hemisfério sul. Ele faz parte essencialmente do mundo tropical, à exceção de seus estados mais meridionais, ao sul de São Paulo. O Brasil dispõe de vastos territórios subpovoados, como o da Amazônia, conhece também um crescimento urbano extremamente rápido, índices de pobreza que não diminuem e uma das sociedades mais desiguais do mundo. Qualificado de ‘terra de contrastes’ o Brasil é um país moderno do Terceiro Mundo, com todas as contradições que isso tem por consequência”

(Adaptado de: Vesentini, J. W.).

O Brasil é qualificado como “terra de contrastes” por
a) fazer parte do mundo tropical, mas ter um crescimento urbano semelhante ao dos países temperados.
b) não conseguir evitar seu rápido crescimento urbano, por ser um país com grande extensão de fronteiras terrestres e de costa.
c) possuir grandes diferenças sociais e regionais e ser considerado um país moderno do Terceiro Mundo.
d) possuir vastos territórios subpovoados, apesar de não ter recursos econômicos e tecnológicos para explorá-los.
e) ter elevados índices de pobreza, por ser um país com grande extensão territorial e predomínio de atividades rurais.

(UNCISAL) O Brasil, a Rússia, Índia e China alcançaram grande importância na economia mundial. O grupo formado por estes quatro países passou a ser chamado de BRIC. Essa sigla foi criada em 2001 pelo economista Jim O’neill, do grupo Goldman Sachs. O BRIC já tem importância política mundial, e a Rússia, Índia e China contam com um grande poderio militar.
Neste sentido, é correto afirmar:

a) o BRIC não firmou acordos políticos, comerciais ou militares, mas dispondo de economias com grande potencial produtivo e de consumo constituiu tratados de comércio.
b) o BRIC agrupa 60% da população do planeta, formando um imenso mercado consumidor.
c) Brasil, Rússia, Índia e China são países com culturas e economias semelhantes.
d) a Índia e a China atuam fortemente na importação de manufaturados.
e) o Brasil e a Rússia atuam fortemente na exportação de manufaturados, sendo que os russos se destacam no ramo da informática.

(UEL)

A obra de Vik Muniz permite uma reflexão sobre a organização do espaço no período técnico-científico-informacional, discutido por Milton Santos.

Em relação ao processo de espacialização desse período, assinale a alternativa correta.
a) Caracteriza-se pela redução das necessidades de transporte das mercadorias.   
b) É determinado pela concentração populacional no espaço geográfico.   
c) Exclui os espaços rurais pela restrição da utilização de ciência e de tecnologia.   
d) Marca a totalidade do espaço, que se subordina à lógica da globalização.   
e) Resulta no predomínio de relações lugar-lugar em detrimento das relações local-global.   

VESTIBULAR 2012

(UEMG)
BRASIL: POTÊNCIA OU COLÔNIA?

Não há dúvidas de que, em alguns aspectos, a economia brasileira vai bem, com seu crescimento puxado pelo forte consumo do mercado interno. Também é preciso reconhecer que nos últimos anos o país obteve resultados expressivos no que diz respeito às políticas sociais, tendo tirado mais de 20 milhões de brasileiros do estado de miséria e elevado mais de 30 milhões à classe média. Por outro lado, alguns indicadores ainda nos envergonham e mostram que estamos muito distantes do mínimo necessário para nos considerarmos uma nação em desenvolvimento. Como exemplo, podemos citar um quesito fundamental à saúde, que é o saneamento ambiental, cujos indicadores são alarmantes (...). Na educação, ciência e tecnologia a situação não é diferente(...). No que se refere à Política Industrial, a situação também é extremamente preocupante, pois o atual modelo econômico nos empurra para uma primarização da economia. O fato é que o Brasil está priorizando a exportação de commodities em detrimento das exportações de bens de maior valor agregado(...).

NETO, Luiz Aubert. Revista Mercado Comum. Ano XVIII – Ed. 218. p. 112, 113.Texto adaptado.

Em relação ao texto acima e seu título, são apresentadas as seguintes afirmativas:

I. O Brasil mostra características de potência, devido ao valor agregado dos seus produtos industrializados.
II. Alguns indicadores de extrema relevância, como saúde, educação, política industrial ainda incluem o país na classificação do subdesenvolvimento.
III. A exportação de commodities, em detrimento das exportações de bens de maior valor, coloca o Brasil na categoria de potência.
IV. Os fatores de expressivos resultados nas políticas sociais e o crescimento da economia através do fortalecimento do mercado interno têm levado a crer que o Brasil está na categoria de potência.

Está CORRETO apenas o que se afirma em
a) II e IV
b) II e III
c) I e IV
d) I e II

(FUVEST)

Nos mapas, estão representados os Eixos de Integração e Desenvolvimento previstos pela Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana (IIRSA), da qual o Brasil é um dos países membros, desde o ano 2000.

Com base nos mapas e em seus conhecimentos,

a) identifique todos os Eixos de Integração com impacto direto sobre o mercado externo brasileiro, analisando, particularmente, o Eixo de Integração 9. Explique.

b) identifique e analise dois possíveis impactos ambientais do Eixo de Integração 8.

Respostas:

a) Os eixos de integração com impacto direto sobre o mercados externos brasileiros são os de números, 3, 4, 5, 6, 8 e 9. O eixo número 9 visa constituir infraestrutura que fortaleça a  integração regional já constituída de forma política (MERCOSUL). Essa integração busca  aprofundar a inserção da região na economia global principalmente em direção ao núcleo geoeconômico do pacífico.  

b) O eixo número oito tende a ampliar a ocupação de biomas como o Pantanal, o Cerrado e a Mata Atlântica no sentido Oeste  - Leste. Tal expansão pode ampliar o desmatamento devido à construção de grandes obras de infraestrutura, atividades agropecuárias e a o crescimento urbano  – industrial. Além disso, as obras de hidrovias no Centro  – Oeste tendem a afetar a dinâmica de cheias do pantanal e acentuar o assoreamento

VESTIBULAR 2011


(PUCSP) Veja o mapa com atenção:

In: http://cartographie.sciences_po.fr/cartotheque/BR_G04c_Commerce_exterieur_Bresil_2007.jpg, acesso em 19/10/2010.

Tendo em vista o representado, a relação correta do Brasil com respeito ao comércio exterior é:

a) América do Norte – déficit comercial
b) Europa – equivalência na blança comercial
c) Países vizinhos – déficit comercial
d) Japão – crescimento acelerado das importações
e) China – rápido crescimento do comércio e equivalência na balança

(UFLA) Leia o recorte de notícia abaixo:


A afirmação acima diz respeito a uma das etapas do processo que deu direito ao Brasil de abrir uma retaliação econômica contra os EUA (produtos americanos que poderão ter uma sobretaxa em suas importações).

Com base nas informações que se tem sobre as regras do comércio mundial associadas à questão, é INCORRETO afirmar que:

a) O direito de retaliação foi decisão da Organização Mundial do Comércio (OMC).
b) A OMC é uma organização internacional, de status permanente, com poder de decisão reconhecido por seus membros.
c) Em termos de comércio multilateral, a OMC é reconhecida atualmente como órgão de arbítrio para questões comerciais internacionais.
d) O processo citado foi arbitrado pelo GATT (Acordo Geral de Comércio e Tarifas), responsável por questões de litígio comercial entre partes contratadas.

(UFRJ)
Redes sociais e redes empresariais
No mundo globalizado, a mobilidade das pessoas e das empresas tende a aumentar. Essa mobilidade depende de redes que se estabelecem entre distintas localizações. Os gráficos a seguir mostram a distribuição de empresas e de pessoas originárias do Brasil nas diversas regiões do mundo.

Fonte: Valor Econômico, 2009; MRE, 2009.

a) Explique o papel do Estado na expansão das redes empresariais brasileiras na América do Sul.

b) Relacione o papel das redes sociais com o grande percentual de brasileiros residentes nos Estados Unidos.

Resposta:

a) O estabelecimento das redes empresariais que explicam a mobilidade das empresas brasileiras depende em grande parte da ação do Estado. Como o Brasil está emergindo como potência regional na América do Sul, existe um empenho por parte do Estado em promover acordos comerciais, uniões aduaneiras, e uma política financeira que favorece a mobilidade das empresas brasileiras na América do Sul, tais como acordos preferenciais no MERCOSUL, financiamentos do BNDES e os acordos diplomáticos multilaterais.

b) As redes sociais que se estabelecem entre os migrantes e suas comunidades nacionais e regionais de origem atuam na orientação dos fluxos e facilitam a inserção dos imigrantes (mercado de trabalho, informações, sociabilidade, etc.) no país de destino.

(FUVEST) Observe os gráficos abaixo sobre as exportações brasileiras.

Fonte: SECEX/MDIC, 2010. Adaptado.

Fonte: SECEX/MDIC, 2010. Adaptado.

a) Com base no gráfico A e em seus conhecimentos, analise e explique as exportações brasileiras entre 2001 e 2010.

b) Compare as exportações brasileiras para a América Latina/Caribe e para a União Europeia (gráfico B). Explique as diferenças encontradas.

Resolução:

a) Os valores do gráfico indicam uma diminuição relativa da exportação de produtos manufaturados e semimanufaturados, devido a fatores como o aumento da competitividade mundial e a valorização cambial do real; e, por outro lado, o aumento da exportação de produtos básicos, ou primários, devido principalmente à manutenção na década do crescimento da China, que se tornou, no período, o maior importador do Brasil.

b) As exportações totais do Brasil para América Latina e Caribe foram maiores que para a União
Europeia no período; para esta, predominou a exportação de produtos básicos, primários, seguidos
por manufaturados e semimanufaturados, enquanto as exportações para América Latina e Caribe tiveram o predomínio de produtos manufaturados, responsáveis por mais de 2/3 das exportações totais, o que mostra a preponderância industrial do Brasil no contexto latino-americano. O mesmo não ocorre quanto às exportações para a União Europeia, onde se destacam países mais industrializados, altamente competitivos e tradicionais importadores de produtos básicos do Brasil.

(FUVEST)


Os investimentos diretos da China no Brasil aumentaram vertiginosamente nos últimos anos, conforme pode ser observado no gráfico acima.

Sobre esses investimentos, é correto afirmar:

a) Destinam-se, principalmente, à produção de matéria-prima no Brasil, destacando-se minério de ferro e soja.
b) Originam-se, principalmente, da falta de qualificação da mão de obra no setor agrícola, na China, nos últimos anos.
c) Devem-se à necessidade de a China diversificar e expandir sua indústria pesqueira para além do Sudeste asiático.
d) Concentram-se na produção pecuária, visando atender à crescente demanda de sua carteira de negócios no mercado norte-americano.
e) Relacionam-se à flexibilização da legislação trabalhista brasileira, que tem atraído investimentos chineses, sobretudo para o setor de biotecnologia.

(ESPM) Leia o texto:

O compromisso brasileiro com a integração regional tem sido uma prioridade de todos os governos desde 1985 ... Ao olhar para nossa geografia, entendemos por que isso faz sentido.

(Emílio Odebrecht, Folha de São Paulo, 25/07/10.)

A alternativa que justifica a fala do autor é:

a) A ALADI, Associação Latino-Americana de Integração, configura-se como a mais importante iniciativa de integração regional das Américas nos últimos anos e integra todos os países do continente.
b) O “olhar” ao qual se refere o autor diz respeito à homogeneidade étnica e natural da América do Sul, um fator facilitador da integração regional.
c) O fato de o Brasil fazer fronteiras com todos os países sulamericanos, justifica a preocupação dos governos citados, especialmente com a prioridade dada ao Mercosul, a partir da assinatura do Tratado de Assumpção.
d) O Brasil faz fronteira com quase todos os países sulamericanos e isso é um aspecto que justifica a prioridade à integração regional que tem no Mercosul o principal bloco econômico.
e) Com exceção da Venezuela e Cuba, a Unasul surge como o principal fórum de resoluções políticas do cone sul da América.

(ESPM) Seguem abaixo indicadores de quatro países emergentes em seus respectivos mapas.



Observe-os e indique a alternativa correta:

a) Apenas o Brasil apresenta superávit comercial.
b) O México apresenta o maior déficit comercial.
c) Comparativamente, a Índia é o país que apresenta a melhor qualidade de vida.
d) A Turquia apresenta o melhor saldo comercial.
e) O Brasil apresenta a maior renda per capita.

(UFRN) No período de 1970 a 2000, o Brasil apresentou alterações na composição das exportações, envolvendo produtos primários (agrícolas e minerais), produtos semimanufaturados (produtos primários que sofreram algum processamento industrial) e produtos manufaturados (que foram produzidos pelas indústrias).

O Gráfico a seguir apresenta a composição das exportações do Brasil, no período citado.


Observando-se as informações do Gráfico e considerando-se a dinâmica da economia brasileira, pode-se afirmar que,

a) em 2000, a baixa participação dos produtos primários na composição das exportações resulta da ampliação das barreiras protecionistas e do baixo investimento do capital estrangeiro no setor.
b) em 1970, a política de liberalização da economia implementada pelo Estado foi responsável pela elevada participação dos produtos primários na composição das exportações brasileiras.
c) em 1970, a política de privatização do setor industrial, estimulada pelo Estado, contribuiu para a baixa participação dos produtos manufaturados na composição das exportações brasileiras.
d) em 2000, a elevada participação dos produtos manufaturados na composição das exportações reflete a redução das barreiras protecionistas e o processo de privatização das empresas estatais.

(ESPM) Observe a tabela:


Podemos concluir que:

a) a maior economia latino-americana é também a mais desigual.
b) nos Estados Unidos, praticamente não há desigualdade.
c) Venezuela, Uruguai e Costa Rica, são os países de maior coeficiente de Gini.
d) apesar de serem “países em desenvolvimento”, os membros da OCDE apresentam bons indicadores sociais.
e) há uma relação direta entre tamanho do PIB e justiça social.



VESTIBULAR 2009


 (UFPEL) Observe a figura a seguir.

Diário Popular, 01/10/2008

A figura é alusiva ao recente cataclismo no centro financeiro do capitalismo mundial, que gerou uma intervenção sem precedentes do governo estadunidense no mercado para sanear o capitalismo financeiro. Essa crise inevitavelmente atingirá a todos.
Nesses momentos de crise financeira, cresce em importância, na economia mundial, a consideração do risco país, um conceito que orienta os investidores internacionais sobre as melhores escolhas.

Leia as afirmativas a seguir. O risco país
I. determina o grau de instabilidade dos países emergentes de primeira linha: Brasil, Rússia, Índia e China, os que são congregados na expressão denominada Bric.
II. indica, quanto maior, menor capacidade de atrair investimentos estrangeiros. Para tornar o investimento atraente, o país tem de elevar as taxas de juros que remuneram os títulos representativos da dívida.
III. é calculado por agências de classificação de risco e por bancos de investimento. Países como
Rússia, Bulgária, Marrocos, Filipinas, Polônia e outros não são considerados como dados comparativos no cálculo dos índices.
IV. não é influenciado pela contração do crédito externo, ou pela queda do preço das ações e oscilações do dólar no cenário interno de um país, uma vez que depende do relacionamento com o mercado internacional.
V. é um conceito que funciona como um termômetro psicológico do mercado internacional de investimentos, uma avaliação do grau de credibilidade econômica que determinado país inspira a quem estuda a possibilidade de nele aplicar o seu capital.

Estão corretas, apenas,
a) II e V.
b) I e III.
c) III, IV e V.
d) IV e V.
e) I, II e III.
f) I.R.

(UESPI) O conceito de globalização reúne um conjunto vasto de prescrições ancoradas no consenso hegemônico conhecido por “Consenso de Washington”. Sobre esse assunto, assinale a alternativa incorreta.
a) O Consenso de Washington foi subscrito pelos Estados Centrais do sistema mundial.
b) Esse consenso hegemônico elaborou prescrições acerca do futuro da economia mundial.
c) As políticas de desenvolvimento compõem um dos pilares do consenso de Washington.
d) O papel do Estado na economia está inscrito no receituário desse consenso hegemônico.
e) Esse consenso foi elaborado pelos Estados periféricos do sistema mundial, no início da década de 1970, na Inglaterra.

VESTIBULAR 2008

(UFC) A partir de 1989, a América Latina incorpora o neoliberalismo. Este modelo, contestado por diferentes grupos e movimentos sociais, caracterizou-se, neste continente, por

a) atenuar as diferenças sociais e a dependência em relação ao capital internacional, ofertando o pleno emprego.
b) estimular o desenvolvimento do campo social e político e implementar uma sociedade mais justa e igualitária.
c) diminuir o poder da iniciativa privada transnacional, mediante a intervenção do Estado a favor da burguesia nacional.
d) ter uma base econômica formada por empresas públicas que regularam a oferta e a demanda, assim como o mercado de trabalho.
e) instaurar um conjunto de idéias políticas e econômicas capitalistas que defendeu a diminuição da ingerência do Estado na economia.

(UNIMONTES) O governo Collor lançou, em 1990, um plano de estabilização econômica que se apoiava nos seguintes pontos, EXCETO

a) Eliminação dos monopólios do Estado em telecomunicações e petróleo e fim da discriminação de capital estrangeiro.
b) Abertura da economia ao ingresso de produtos e serviços importados, por intermédio da redução e/ou eliminação dos impostos de importação.
c) Aumento da participação do Estado no setor produtivo, por intermédio de empresas estatais na concessão de exploração de infra-estrutura.
d) Confisco, por 18 meses, dos depósitos bancários em dinheiro, tanto em caderneta de poupança quanto em outros tipos de investimentos.

(FALM) Observe a tabela abaixo e responda:


A tabela acima apresenta a evolução do índice Ibovespa da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), medido em pontos. Com base na tabela e nas notícias recentemente veiculadas na imprensa brasileira, é possível afirmar que:
a) O mercado de ações brasileiro vive uma de suas maiores crises das últimas décadas, crise  representada na tabela pelo aumento do índice nominal de aproximadamente 18 mil pontos em 2000 para aproximadamente 50 mil pontos em 2007.
b) O crescimento do índice Ibovespa reflete a perda do poder aquisitivo da população e o aumento do desemprego, verificados desde o Plano Real.
c) O mercado de ações brasileiro vive o melhor momento de sua história, momento representado na tabela pelo aumento do índice nominal de aproximadamente 18 mil pontos em 2000 para aproximadamente 50 mil pontos em 2007.
d) O índice Ibovespa representa o grau de confiança dos investidores externos e das agências de risco na economia brasileira.
e) O crescimento do Ibovespa reflete o movimento inflacionário que leva à perda de poder aquisitivo por parte do trabalhador brasileiro.

(FUVEST) Em setembro de 2007, aconteceram passeatas, em diversas cidades do País, como forma de protesto contra a privatização da Vale (Companhia Vale do Rio Doce, antiga CVRD).

a) Caracterize o contexto político-econômico mundial e nacional em que se deu a privatização da Vale.
b) Outros movimentos pró-reestatização de empresas públicas que foram privatizadas têm ocorrido na América Latina. Identifique um país em que isto aconteceu recentemente e explique o fato.

Resposta

a) A CVRD – Companhia Vale do Rio Doce – integrou o conjunto de empresas estatais brasileiras que
foram privatizadas a partir da década de 1990, num contexto internacional caracterizado pela prevalência do pensamento neoliberal, momento de consolidação de uma ordem global capitalista.
Essa Nova Ordem que se estabelecia exigia a abertura da economia. Nos países do Sul, essa liberalização dos mercados somou-se à privatização de setores em que a presença estatal, imprescindível no período inicial da industrialização pós-Segunda Guerra Mundial, tornava-se um obstáculo à modernização, inviabilizando investimentos externos.
Além disso, dentro de outro momento do neoliberalismo, que foi o Consenso de Washington, exigiu-se dos países em desenvolvimento a racionalização das contas estatais com o intuito de saldar dívidas. A
venda de estatais, como a CVRD, entrava nesse contexto.
Os investimentos necessários à modernização do equipamento industrial dos países do Sul dirigiram-se
para setores estratégicos, como a infra-estrutura de transportes, energia e telecomunicações.
O resultado desse processo de privatização do patrimônio outrora estatal permitiu a sua dinamização,
embora atualmente alguns setores sociais contrários a esse processos exijam sua revisão.
No Brasil, esse processo teve início no governo de Fernando Collor de Mello, sendo aprofundado no
governo de Fernando Henrique Cardoso. À época, houve já a mobilização de setores sociais que se
opuseram às privatizações, muitas das quais se manifestaram recentemente em favor da reestatização
da Companhia Vale do Rio Doce.

b) Dentre os exemplos latino-americanos de movimentos contrários à privatização, destacaram-se recentemente: a nacionalização dos hidrocarbonetos na Bolívia, a reestatização do setor elétrico na Venezuela, além do avanço da estatal petrolífera venezuelana, a PDVSA, sobre projetos multinacionais no vale do Rio Orinoco.

(UFPI) Observe o mapa de divisão regional do Brasil e, em seguida, assinale a proposição correta:


a) O número 5 assinala a região Sul, onde se concentram numerosos descendentes de europeus, que utilizaram a terra mantendo a cobertura vegetal original, adotando um sistema de agricultura extensiva e de autoconsumo.
b) O número 1 corresponde à região de maior área, onde as condições naturais permitiram o estabelecimento de uma floresta temperada homogênea e que vem apresentando crescente extensão de áreas devastadas, porque ainda não utiliza modelos de desenvolvimento sustentável.
c) O número 2 indica a região que teve menor importância econômico-social no período colonial e que, após o período áureo da mineração, voltou às condições de pobreza dos primeiros séculos de colonização.
d) O número 4 identifica a região que apresenta maior índice de industrialização, com destaque para as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, que polarizam as demais regiões brasileiras.
e) O número 3 assinala a região Centro-Oeste, que passou a crescer após a construção de Brasília, mesmo apresentando condições naturais adversas, advindas da presença do bioma caatinga.

(PUCMG)


A associação dos dados apresentados pelo gráfico à realidade brasileira contemporânea permite afirmar:

a) O imposto é a base da arrecadação no Brasil e vai diminuir gradualmente com a extinção da taxa da CPMF.
b) O povo está cansado de pagar tantos impostos e sempre dá o seu “jeitinho” de fugir ao compromisso com o governo.
c) O Brasil cobra impostos de país rico, entretanto não oferece os serviços no mesmo padrão dos países ricos.
d) O Brasil tem má distribuição de renda; no que se refere à cobrança de tributos, paga mais quem pode pagar mais.

(UFPE) É inegável que a economia brasileira avançou em vários aspectos, nos últimos anos. Embora o país conte com um expressivo mercado interno e um parque produtivo diversificado, a competitividade permanece travada por diversos fatores, tais como:

(    ) inflação elevada para os padrões latino-americanos.
(    ) alta carga tributária
(    ) juros elevados
(    ) crescimento negativo do PIB
(    ) deficiências na infraestrutura

Resposta: FVVFV

(ESPM) Em recente estudo denominado “As regiões brasileiras pós-Tocantins: ensaio para um novo arranjo”, um estudo do CEBRAP defende a criação da região Noroeste, a partir de uma redivisão da atual região Norte. O novo mapa regional do Brasil ficaria assim:

(Adaptado de Cebrap, 2007)

Em relação à nova proposta e à atual divisão regional, é correto afirmar:

a) Observa-se na nova proposta que o estado do Tocantins deixaria de integrar o atual Centro-Oeste.
b) Os critérios para o novo nódulo regional baseiam-se, prioritariamente, em aspectos econômicos, uma vez que os estados da nova região, compõem um vetor regional comum.
c) A nova região seria uma fusão de atuais estados da região Norte com estados do Centro-Oeste.
d) A atual região Norte já contempla uma unidade econômica e política, compondo um espaço regional único e padronizado, tanto no âmbito econômico, como fisiográfico.
e) Aspectos físicos seriam preponderantes na nova divisão, separando a região norte entre estados que possuem a formação amazônica, como o Amazonas, daqueles que não a possuem, como o Maranhão.

(ESPM) Leia a matéria:

Crise já faz governo temer freada no crescimento

Análises de economistas do governo indicam que, se houver recessão nos Estados Unidos, a meta de crescimento de 5% do PIB para o ano que vem ficará comprometida.

(O Estado de São Paulo, 19/08/07)

O impacto da crise financeira internacional, deste segundo semestre de 2007 na economia brasileira, se explica pelo fato de:

a) Não ser o Brasil um global trader e depender exclusivamente do mercado norte-americano para alocar suas exportações.
b) Ser o mercado americano o maior destino das commodities brasileiras e o recuo das exportações pode diminuir os superávits alcançados nos últimos anos.
c) A descapitalização afetar os investimentos estrangeiros no país, gerando um conseqüente superávit nas contas correntes.
d) O Brasil não conseguir manter as médias de crescimento em torno de 5% que obteve nos últimos quatro anos, uma vez que as exportações para o mercado norte-americano contribuem decisivamente para o aumento do PIB nacional.
e) Que o Brasil vem se retirando da globalização, devido ao modelo econômico implementado no atual governo.

(UNISC) A realidade espacial brasileira é dinâmica e tem passado por intensas transformações, tornando difícil sua divisão. Considerando a proposta de divisão regional do Brasil em três grandes complexos regionais - Centro-Sul, Nordeste e Amazônia -, marque nos parênteses F se a afirmativa for falsa ou V se a afirmativa for verdadeira:
(    ) desconsidera os limites estaduais na sua base territorial, refletindo em uma melhor homogeneidade
de cada complexo.
(    ) baseia-se em elementos geoeconômicos, considerando-os os mais adequados para o atual dinamismo espacial.
(    ) favorece a identificação dos espaços regionais, considerando suas diversidades, no processo histórico de sua organização.
(    ) desconsidera a base física, tendo em vista que a ação humana degrada o ambiente natural.

A seqüência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é

a) V - V - V - F
b) V - F - V - F
c) F - V - F - V
d) V - V - F - V
e) V - V - V - V


VESTIBULAR 2007

(UFV) Observe a tabela a seguir:

(Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, 2006.)

Com base na análise dos dados da tabela e nos conhecimentos sobre comércio exterior brasileiro, assinale a afirmativa CORRETA:

a) As importações cresceram continuamente, em função das importações de produtos agrícolas europeus e de material eletroeletrônico do Mercosul.
b) O crescimento nas exportações deve-se ao desempenho das indústrias brasileiras de produtos de alta tecnologia no mercado africano.
c) O aumento das exportações brasileiras ocorreu porque a Organização Mundial do Comércio (OMC)
reduziu as barreiras comerciais dos países ricos aos produtos oriundos do Mercosul.
d) O superavit na balança comercial deve-se aos esforços políticos do governo federal e ao bom
desempenho dos produtos agropecuários, como a soja, no mercado internacional.
e) O aumento das exportações é conseqüência do processo de globalização, que ampliou trocas comerciais internacionais, reduzindo a desigualdade entre os países ricos e pobres.

(UFT) A inserção da economia brasileira no movimento de globalização teve início na década de 1990.

É INCORRETO afirmar que essa inserção foi acompanhada pela

a) adoção de processo industrial voltado para a substituição de importações, que reduziu a dependência do mercado interno por produtos manufaturados.
b) consolidação de um modelo econômico estruturado na liberalização comercial e na atração de investimentos estrangeiros diretos.
c) criação de agências de fiscalização das empresas privadas que se tornaram concessionárias de serviços públicos.
d) implantação de um programa de privatização das estruturas produtivas estatais – indústrias siderúrgicas e empresas de telecomunicação, entre outras.

(UFPE) “O processo de privatização das indústrias de base, setor de distribuição de energia e de outros setores que praticamente sempre foram controlados pelo Estado brasileiro, foi um fato marcante na década de 1990.”

Sobre esse assunto, analise o que é afirmado abaixo.

0-0) As privatizações ocorridas nesse período foram decorrentes da aplicação de uma política econômica marxista, de caráter “neo-socialista”, posta em prática por setores ligados ao sistema financeiro internacional.
1-1) O sistema TELEBRÁS foi a primeira empresa a ser privatizada na década referida, tendo sido dividido em mais de 10 empresas de telefonia fixa e móvel.
2-2) Um dos argumentos utilizados como justificativa para as privatizações foi o de que as empresas eram ineficientes, pouco competitivas e davam prejuízos. Assim, a venda dessas empresas diminuiria os gastos do governo.
3-3) Antes de serem privatizadas, as empresas estatais que não se mostravam muito rentáveis, economicamente falando, eram, em geral, financeiramente saneadas.
4-4) As privatizações das indústrias de base ocorreram como aplicação de uma ideologia, segundo a qual a participação do Estado na economia tem que ser máxima, sobretudo em setores que não apresentem déficit financeiro.

Resposta: FFVVF

(UNESP) Compare o ritmo de crescimento (PIB) e a inflação em alguns países, nos anos de 2004 e 2005.


Assinale a alternativa correta.
a) Dos países da América do Norte, Estados Unidos e México apresentam taxas de crescimento semelhantes e elevados índices de inflação nos dois períodos.
b) Dos países asiáticos, apenas Índia e China apresentam elevadas taxas de crescimento e índices de inflação muito elevados nos dois períodos.
c) Dos países sul-americanos, o Brasil apresenta as menores taxas de crescimento com índices de inflação pouco variáveis, enquanto a Argentina apresenta os maiores índices de crescimento com inflação crescente, próxima dos 10% ao ano.
d) Dentre os países desenvolvidos, Japão e Estados Unidos apresentam elevadas taxas de crescimento, enquanto os índices de inflação, nos dois períodos, estão próximos de zero.
e) Dos países latino-americanos, o Brasil e o México apresentam as maiores taxas de crescimento e os menores índices de inflação, próximos de 2% ao ano.

VESTIBULAR 2006

(UFSCAR) Os gráficos apresentam os resultados, no Brasil, da Balança Comercial e da Balança de Pagamentos entre os anos de 1970 e 2004.



Com base nos dados, pode-se afirmar que:

a) o superávit comercial assegura superávit na balança de pagamentos, fato que explica a política de incentivo às exportações adotada pelo Brasil desde os anos de 1990.
b) as políticas de privatização e de abertura às importações, realizadas a partir do Governo Collor, geraram déficits sucessivos na balança comercial e de pagamentos.
c) apesar das oscilações, houve predomínio das exportações frente às importações, no período representado nos gráficos.
d) a desvalorização do dólar a partir do segundo semestre de 2004 gerou aumento das exportações, redução dos investimentos estrangeiros no país e déficit na balança de pagamentos.
e) o aumento dos juros da dívida externa, na década de 1970, em decorrência da crise mundial do petróleo, é responsável pelos déficits na balança comercial em 1975 e 1980.

(UNIFOR) Considere as seguintes afirmações:

I. Até recentemente, todos os atuais países subdesenvolvidos foram colônias de potências européias.
II. Atualmente, as diferenças socioeconômicas existentes entre os países são resultado da evolução do sistema capitalista.
III. A dependência financeira e tecnológica representa um dos maiores obstáculos ao desenvolvimento dos países pobres.
IV. As condições climáticas desfavoráveis, como tropicalidade ou aridez, são fatores que explicam o subdesenvolvimento.

Podem ser utilizadas para caracterizar os países subdesenvolvidos SOMENTE:

a) I e II
b) I e III
c) I e IV
d) II e III
e) III e IV

(UNESP) Observe a tabela e assinale a alternativa que indica a relação entre PIB total e PIB per capita, no período considerado.


a) Os aumentos do PIB total e do PIB per capita não foram proporcionais, indicando acelerado crescimento econômico.
b) Os aumentos do PIB total e do PIB per capita foram proporcionais, indicando elevado crescimento econômico.
c) O PIB total não aumentou ano após ano, ao contrário do PIB per capita, indicando moderado crescimento econômico.
d) O PIB total aumentou pouco e o PIB per capita praticamente duplicou, indicando elevado crescimento econômico.
e) tanto o PIB total como o PIB per capita aumentaram pouco, indicando lento crescimento econômico.

(UNESP) Observe as tabelas.


Analisando-se os dados, pode-se afirmar:

a) mais da metade das exportações brasileiras destina-se à União Européia e Estada Unidos, enquanto que a América Latina, o Oriente Médio e a África são as regiões com piores resultados no saldo comercial.
b) quase a metade das exportações brasileiras destina-se à União Européia e Estada Unidos, enquanto que a África, a Ásia e o Oriente Médio são as áreas com piores resultados no saldo comercial.
c) União Européia e Mercosul são os destinos da metade das exportações brasileiras, enquanto que América Latina, Ásia e África são as regiões com piores resultados no saldo comercial.
d) mais de 80% das exportações brasileiras destinam-se a apenas três regiões do globo, enquanto que os piores resultados do saldo comercial concentram-se em apenas duas regiões.
e) União Européia e Mercosul absorvem quase a metade das exportações brasileiras, enquanto que África e Ásia são os continentes com piores resultados no saldo comercial.

(CEFET) O fundamento da nova ordem econômica é a liberdade dos indivíduos. Mas o que se vê é sua destruição: a violência do desemprego, a precariedade da sobrevivência física, o medo da insegurança: o homem passou a temer o futuro. O reinado do mercado implica o reinado do consumidor, o substituto comercial (despolitizado) do cidadão: o bem público é o bem privado, a coisa pública é a coisa privada. Dizem que as fronteiras entre Estados já não funcionam, mas os trabalhadores não têm livre trânsito. Ao livre fluxo de mercadorias (no sentido Norte-Sul) e do capital não corresponde o livre-trânsito de homens; a mão-de-obra farta das antigas colônias e os conflitos religiosos, estimulados, alimentam na Europa e em todo o mundo políticas migratórias racistas e discriminatórias. Importam-se empresas e mercadorias; exportam-se empregos e territórios.

E, em nome do mercado e da liberdade, do livre-câmbio e do neoliberalismo, temos o monopólio absoluto ou mais perfeito (e não estamos em face de uma contradição em termos):

O monopólio estatal pelo Estado único.
O monopólio da economia.
O monopólio do mercado.
O monopólio dos valores.
O monopólio da informação e, finalmente, o monopólio da violência e da guerra.
(Roberto Amaral, Civilização e barbárie. Texto editado)

No Brasil, as idéias relacionadas à “nova ordem econômica”, ao “reinado do mercado” e à “exportação de empregos”, às quais o autor do texto se refere, caracterizaram “Planos Econômicos”
nos governos dos presidentes

a) Fernando Collor e de Fernando Henrique Cardoso.
b) Juscelino Kubitschek e Luiz Inácio Lula da Silva.
c) João Batista Figueiredo e Jânio Quadros.
d) João Goulart e Fernando Collor.
e) José Sarney e Itamar Franco

(UNICAP) Sobre a situação econômica brasileira no contexto neoliberal, são feitas as afirmações a seguir.

(     ) 0 No início da década de 1990, o Brasil intensificou as barreiras protecionistas, prejudicando, assim, a entrada de investimentos internacionais no País.
(     ) A adoção do modelo neoliberal pelo governo brasileiro acarretou uma certa redução de postos de trabalho nos setores Terciário e Secundário da economia.
(     ) Muitas indústrias brasileiras não conseguiram competir com as estrangeiras e foram obrigadas a fechar.
(     ) A política neoliberal no Brasil advoga uma maior intervenção do Estado na economia, recebendo, por isso, forte oposição das forças de esquerda internacionalistas.
(     ) Com a introdução de tecnologias de informação, robótica e automação, os empregos diretos nas indústrias ampliaram-se, contribuindo, dessa maneira, para a diminuição do desemprego, em especial no início deste século.

Resposta

F V V F F

(FMTM) O mundo assiste ao aumento do comércio mundial, cuja regulamentação é feita pela OMC (Organização Mundial de Comércio), criada na década de 90.


Analisando-se a tendência apresentada pelo gráfico e os principais produtos comercializados, pode-se afirmar que se referem ao comércio

a) da Índia com o Japão.
b) de Formosa com Hong Kong.
c) da União Européia com o Nafta.
d) do Brasil com a China.
e) da Austrália com a Arábia Saudita.

(PUCAMP) Na atualidade, a democracia brasileira passa por grandes desafios principalmente no tocante ao processo de inclusão social de grande parte da população. Essa inclusão social é um dos elementos fundamentais na garantia dos princípios democráticos. Parte da esquerda que faz oposição ao governo Lula defende, como forma de ampliar os direitos sociais,

a) a manutenção da política econômica baseada na estabilidade monetária e no controle do déficit público.
b) o fim da política econômica de controle dos gastos públicos e de subordinação aos interesses do grande capital.
c) a adoção da política neoliberal, uma vez que esta possibilita a ampliação do setor produtivo e da oferta por empregos.
d) a redução dos índices inflacionários como elemento fundamental para a recuperação do poder aquisitivo dos salários.
e) o aumento dos impostos sobre a renda dos trabalhadores como forma de garantir ao Estado os investimentos em educação e saúde.

(PUCRIO) Desde as últimas décadas do século XX, o Brasil, diante das novas exigências do comércio global, vem mantendo ou criando estratégias econômicas com o objetivo de aumentar sua participação na economia mundial. Sobre o comércio exterior brasileiro, hoje, NÃO É CORRETO afirmar que:

a) as exportações de produtos industrializados superam, em valor, as de produtos agrícolas;
b) a valorização do real frente ao dólar aumenta a competitividade das exportações brasileiras;
c) os principais importadores dos produtos industrializados brasileiros são os Estados Unidos e a Argentina;
d) os superávits crescem graças ao aumento das exportações de produtos industrializados e de commodities;
e) as ações políticas mais agressivas aumentaram as relações comerciais com a Índia, a África do Sul, os países do Oriente Médio e a China.

(Cesgranrio) A década de 90 do século XX será lembrada na história da economia brasileira como o período em que o Brasil entrou para a era da globalização, ao mesmo tempo em que se desmontaram as bases do modelo de substituição das importações, adotado desde a ultima década do século XIX.

Sobre o processo mencionado, pode-se afirmar que:

I – a estruturação de um novo modelo desenvolvimentista no Brasil permitiu o aparecimento de um ritmo de crescimento econômico classificado como um dos mais elevados do mundo;
II – para atingir as suas metas, o governo brasileiro implementou a estabilidade econômica, com a redução dos altos juros inflacionários que prevaleciam antes da adoção do Plano Real;
III – a redução dos gastos públicos e a diminuição do papel do Estado na economia levaram a cortes nos investimentos em infra-estrutura, piorando a oferta de serviços públicos;
IV – a paridade cambial que marcou este período resultou em uma aceleração do consumo e, em conseqüência, no aumento da oferta de emprego e na elevação da qualidade de vida da população.

Estão corretas as afirmativas:

a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) II e III, apenas.
d) II e IV, apenas.
e) III e IV, apenas.

(UFBA)


Com base na análise do gráfico, verifica-se que, em 1995 e em 2000, a balança comercial do Brasil apresentou saldo negativo. De acordo com os dados apresentados, indique dois fatores responsáveis por esse déficit comercial, justificando sua resposta.

Resposta

O saldo negativo na balança comercial brasileira, verificado nos anos de 1995 e 2000, foi ocasionado por diversos fatores, entre os quais podem-se citar os seguintes:

• a abertura do mercado (globalização), cujos produtos nacionais, de menor qualidade - caros e pouco variados em tipos - enfrentaram a concorrência de produtos de melhor qualidade, maior variedade e mais baratos;
• a implantação do Plano Real, valorizando a moeda nacional - o Real - tornando-a mais competitiva com o dólar e, conseqüentemente, facilitando a entrada de produtos estrangeiros mais baratos;
• o “custo Brasil”, englobando dentre outros aspectos:
− as altas taxas de juros em vigor no país (das maiores do mercado internacional, inibindo investimentos produtivos);
− a defasagem tecnológica das indústrias nacionais (sem poder de concorrer com as grandes potências industriais);
− infra-estrutura de transportes precária e pouco integrada; − portos com deficiência e altas taxas;
− elevados gastos com a importação de petróleo e derivados.

Nenhum comentário: